Asseguram que sacerdote assassinado por terroristas islâmicos "deu sua vida como mártir"

Túmulo de Pe. Ragheed Ganni e seu memorial destruído pelo Estado Islâmico/ Crédito: João Porfirio