O Papa Francisco disse hoje (7) que quem não sabe a data do próprio batismo, precisa procurá-la para poder comemorar o aniversário de se tornar filho de Deus e herdeiro do reino dos céus. Falando da janela do Palácio Apostólico do Vaticano, o papa disse no dia 7 de janeiro que o aniversário do batismo deveria ser celebrado todos os anos “como um aniversário”.

“No batismo, é Deus quem entra em nós, purifica e cura o nosso coração, torna-nos para sempre Seus filhos, Seu povo e família, herdeiros do Paraíso”, disse o papa.

“Perguntemo-nos: tenho consciência do imenso dom que trago dentro de mim através do batismo?”

O papa falou na festa do Batismo do Senhor, que comemora o batismo de Jesus no rio Jordão por São João Batista. No Brasil, a festa foi transferida este ano para amanhã (8) porque no domingo celebrou-se a solenidade da Epifania, transferida do dia 6 para o domingo  mais próximo.

No início do dia, o Papa Francisco batizou 16 bebês na Capela Sistina, onde disse que o batismo é “o presente mais lindo” que os pais podem dar aos seus filhos.

O Catecismo da Igreja Católica descreve o batismo como a “base de toda a vida cristã, a porta de entrada para a vida no Espírito... e a porta que dá acesso aos outros sacramentos”.

Na pregação do Ângelus, o papa disse que cada sinal da cruz é uma lembrança do próprio batismo que “traça em nós a memória da graça de Deus, que nos ama e deseja estar conosco”.

Francisco exortou as pessoas a refletir e a perguntar-se: “Reconheço, na minha vida, a luz da presença de Deus, que me vê como seu filho amado, sua filha amada?”

Ele também encorajou os católicos a agradecerem a Deus pelos seus pais que os levaram à pia batismal e lhes deram o dom do sacramento.

“É importante lembrar o dia do nosso batismo e também saber a data. Peço a todos vocês, a cada um de vocês, que pensem: ‘Lembro-me da data do meu batismo?’”, disse ele.

“Se você não se lembra, quando voltar para casa, pergunte, para não esquecer mais, porque é um novo aniversário, porque com o seu batismo você nasceu para a vida da graça”.

Depois de rezar a oração mariana com a multidão reunida sob guarda-chuvas na praça de São Pedro, o papa exortou as pessoas a continuarem a rezar pela paz na Ucrânia, na Palestina e em Israel.

O papa também pediu orações pela “libertação incondicional” de todas as pessoas que foram sequestradas na Colômbia e expressou a sua proximidade às pessoas afetadas pelas recentes inundações na República Democrática do Congo.

 

O papa desejou um feliz Natal aos cristãos ortodoxos orientais que ainda seguem o calendário juliano e celebraram o Natal deste ano hoje (7).

“Com espírito de alegre fraternidade, desejo que o nascimento do Senhor Jesus os encha de luz, caridade e paz”, disse ele.