Deixou o Irã com uma Bíblia porque queria ser cristão, dois anos depois foi batizado

Mahdi atrás de uma fonte batismal. Crédito: Arquidiocese de Burgos (Espanha)