Atividades religiosas são classificadas como essenciais pelo governo de São Paulo

Imagem referencial. Crédito: Unsplash