Arcebispo da Galiléia: Cristãos árabes estão "paralisados e abandonados"