Pesquisador perde emprego por negar-se a investigar células de bebês assassinados em abortos

Dr. Thomas Sardella e seu filho Emanuele. (Foto: SPUC)