Carregando...
Falece grande amigo judeu de João Paulo II

Jerzy Kluger junto do seu grande amigo de infância, o Beato João Paulo II.

Roma, 05 Jan. 12 / 08:45 am (ACI/EWTN Noticias).- O judeu Jerzy Kluger, o grande amigo de infância do Beato João Paulo II, faleceu no dia 31 de dezembro aos 92 anos em um hospital de Roma (Itália).

Em declarações à agência Reuters, o escritor italiano Gianfranco Svidercoschi afirmou que Karol Wojtyla "aprendeu muito sobre o judaísmo com Kluger". Indicou que enquanto viveram na Polônia, o futuro Papa visitava seu amigo e o ajudava com seus estudos, "particularmente o latim, e começou uma amizade que influiria em suas relações com os judeus o resto de sua vida".

"Teve uma grande influencia na vida do Papa", afirmou o também autor do livro "Carta a um amigo judeu", que relata a amizade entre o Pontífice e Kluger.

Entretanto, ambos perderam contato depois que a Alemanha invadiu a Polônia em 1939. Conforme indicou a Agência Reuters, durante a guerra, Kluger foi detido pelos russos e enviado a um gulag na Sibéria junto com seu pai.

Foi liberado depois que a Alemanha invadiu a União Soviética e se uniu às forças polonesas que combatiam com os aliados na África e Europa. Ao final da guerra se inteirou que sua mãe tinha morrido no campo de concentração de Auschwitz, e por isso decidiu ficar na Itália.

Logo depois de viver um tempo na Inglaterra, Kluger retorna à Itália e retoma contato com o então Arcebispo Karol Wojtyla em 1965, que participava do Concílio Vaticano II. Ambos acreditavam que o outro tinha morrido durante a Segunda guerra mundial.

A amizade entre ambos se fortaleceu e Kluger ajudou a novo Papa a organizar reuniões com seus companheiros de colégio de Wadowice, tanto em Roma como na Polônia.

Esta amizade também foi destacada pelo professor Stanislaw Grygiel em declarações à redação polonesa do L’Osservatore Romano e citada na quarta-feira, 4, pela Rádio Vaticano.

"Jerzy Kluger vivia sempre da lembrança de sua amizade com Karol Wojtyla que nasceu na escola de Wadowice. Esta amizade era muito profunda, apesar das diferenças religiosas e culturais", afirmou.

O professor disse que ambos estavam unidos pela identidade polonesa. Ele recordou que Kluger falava sinceramente de sua amizade com João Paulo II e que poderia ser um signo indicativo inclusive para o diálogo entre poloneses e judeus.

Aqueles que os conheceram recordam que Kluger estava na sinagoga de Roma quando João Paulo II fez sua histórica visita em 1986 e chamou os judeus "nossos queridos irmãos mais velhos".

A amizade seguiu até o falecimento de João Paulo II em 2005.

Etiquetas: Beato João Paulo II, judeus

* Obrigado por seu comentário. O número de mensagens que podem estar online é limitado. A tamanho dos comentários não deve exceder a 1500 caracteres. ACI Digital se reserva ao direito de publicação das mensagens segundo sua idoneidade e teor. ACI Digital não se solidariza necessariamente com os comentários nem as opiniões expressas por seus usuários.

RECOMENDAMOS »

Out
20

Católico em dia

20 de outubro de 2014

  • Você sabia que: O símbolo pascal do fogo é sinal da Luz de Cristo, que além de iluminar no meio das trevas, arde e queima como sinal de purificação.

Videos

Santo Antônio de Pádua
Santo Antônio de Pádua
San José de Anchieta
A falta de oração leva à mediocridade espiritual
Papa Francisco: Nem a doença, nem a morte, poderá nos separar de Cristo
O Papa: A Igreja é a casa da Alegria
A comunhão fraterna leva à comunhão com Deus, diz o Papa
O Papa no Encontro Mundial das Famílias: Viver a Reconciliação Sempre
Maria é modelo de caridade e união com Cristo, destaca o Papa
Francisco exorta a rezar sempre sem jamais cansar-se
Rezar e anunciar o Evangelho é tarefa de todo cristão, afirma Francisco
Deus, nossa força, nos surpreende e nos pede sermos fiéis
O verdadeiro cristão segue o Senhor até a Cruz
A fé é a respiração da alma
Papa Francisco sobre Naufrágio em Lampedusa: uma vergonha!
Deus sempre acompanha a humanidade ao longo da história
Bento XVI: Jesus nos mostra o rosto de Deus
Bento XVI recorda que devemos ser sinais da ação de Deus no mundo
Bento XVI: é urgente falar de Deus no mundo atual
Bento XVI: Deus não é um absurdo embora seja sempre um Mistério
Bento XVI fala de três vias para que o coração do homem chegue a Deus
O homem, mendigo de Deus: catequese de Bento XVI
A fé nunca é um ato puramente individual, destaca Bento XVI
Bento XVI: Não nos basta a ciência, é a fé que nos sustenta
Bento XVI: a plenitude humana consiste no amor
Missa de abertura do Ano da Fé

Podcast

Evangelho do dia

Lucas 24, 1-12

Evangelho
Data
03/30/14
03/29/14
03/28/14

Homilia do dia

Lucas 18,9-14

Homilia
Data
03/29/14
03/28/14
03/27/14

Mais Popular

  Assinar 
Cancelar Assinatura
  

Siga-nos: