Carregando...
Ex-terrorista afirma que João Paulo II impulsionou sua conversão

REDAÇÃO CENTRAL, 09 Mai. 11 / 11:18 am (ACI).- A carta que em 1991 João Paulo II enviou a Carlos Turrin Villanueva, preso durante dez anos por delito de terrorismo na Penitenciária Castro Castro (Lima, Peru), foi um fresco impulso em seu processo de conversão, pois acrescentou sua fé e o inspirou a "continuar trabalhando na evangelização dentro do cárcere".

Em entrevista concedida à ACI Prensa no dia 4 de maio, Turrin, em liberdade desde 1999, disse que meses antes de receber a missiva papal, havia escrito ao agora Beato João Paulo II sem esperar resposta, pois "de tantas ocupações que ele tem, de milhares de cartas que receberá, jamais pensei que ele ia ler a carta de um presidiário".

Em sua mensagem, o Papa lhe agradeceu "o delicado gesto de escrever-lhe uma atenta carta", por isso "por mediação da Virgem Santíssima pede ao Senhor que o fortaleça na fé e lhe conceda contínua paz e prosperidade cristã", além de outorgar a Turrin e seus seres queridos a Bênção Apostólica.

O envelope foi entregue pelo então Arcebispo de Lima, Cardeal Augusto Vargas Alzamora, com quem Turrin tinha desenvolvido uma amizade epistolar, pois também intercambiaram correspondência por um tempo prolongado.

Turrin também relatou à ACI Prensa as dificuldades da vida cristã e o apostolado ao interior da Penitenciária Castro Castro, pois "dentro do pavilhão 4B (onde ele se encontrava encerrado) nessa época, falo-lhes do ano 1989, 1990, o único que podia dirigir e controlar o pavilhão era o Sendero Luminoso e nós fomos o inimigo".

"Os principais líderes que dirigíamos as pequenas comunidades cristãs foram objeto de ameaças de morte, ameaças psicológicas, golpes físicos, maus tratos. Quase todos fomos maltratados física e psicologicamente, mas era o custo de nossa conversão e o assumíamos", afirmou.

Para Turrin, a ferocidade com a que o grupo terrorista ao qual alguma vez pertenceu os atacava se devia a que no apostolado "começamos com dois internos, logo fomos cinco, 15, chegamos até perto de 80, 100 internos, e isso já incomodava o Sendero Luminoso".

"Chegou um tempo em que o detento evangelizava o detento, nós assumíamos a liderança, porque nessa época era quase impossível que ingressassem sacerdotes ou religiosas", assinalou ao ACI Prensa.

Eventualmente, contou Turrin, "chegou-se a fundar 12 comunidades cristãs, um em cada pavilhão. Muitos internos cada ano se consagravam à Virgem Maria. Logo chegamos inclusive ao extremo de organizar festivais pela vida e a paz, atividades muito fortes e inéditas porque vivíamos em regime fechado já nessa época".

"Entretanto, Deus permitiu que se realizassem todas essas atividades, como se estivéssemos livres, com prêmios, concursos, etc.".

Carlos Turrin relatou à ACI Prensa que ver a beatificação de João Paulo II "foi uma profunda experiência, porque efetivamente dentro de mim pensava como este Santo Padre que se dignou escrever-me uma carta, hoje era beatificado".

"Já desde a prisão líamos suas obras, seus trabalhos e sempre dizíamos entre nós, comentávamos, que já era um santo".

Atualmente, Turrin continua o trabalho evangelizador em três centros penitenciários da capital peruana através da comunidade de Ação Pastoral Carcerária, instituição integrada por ex-internos e pessoas de boa vontade que se voluntariam.

Etiquetas: terrorismo, João Paulo II

* Obrigado por seu comentário. O número de mensagens que podem estar online é limitado. A tamanho dos comentários não deve exceder a 1500 caracteres. ACI Digital se reserva ao direito de publicação das mensagens segundo sua idoneidade e teor. ACI Digital não se solidariza necessariamente com os comentários nem as opiniões expressas por seus usuários.

RECOMENDAMOS »

Set
2

Católico em dia

2 de setembro de 2014

  • Você sabia que: Os Cardeais são eleitores do Papa desde 1059, seguindo atualmente as orientações da Constituição Apostólica de João Paulo II "Universi Dominici gregis".

Videos

Santo Antônio de Pádua
Santo Antônio de Pádua
San José de Anchieta
A falta de oração leva à mediocridade espiritual
Papa Francisco: Nem a doença, nem a morte, poderá nos separar de Cristo
O Papa: A Igreja é a casa da Alegria
A comunhão fraterna leva à comunhão com Deus, diz o Papa
O Papa no Encontro Mundial das Famílias: Viver a Reconciliação Sempre
Maria é modelo de caridade e união com Cristo, destaca o Papa
Francisco exorta a rezar sempre sem jamais cansar-se
Rezar e anunciar o Evangelho é tarefa de todo cristão, afirma Francisco
Deus, nossa força, nos surpreende e nos pede sermos fiéis
O verdadeiro cristão segue o Senhor até a Cruz
A fé é a respiração da alma
Papa Francisco sobre Naufrágio em Lampedusa: uma vergonha!
Deus sempre acompanha a humanidade ao longo da história
Bento XVI: Jesus nos mostra o rosto de Deus
Bento XVI recorda que devemos ser sinais da ação de Deus no mundo
Bento XVI: é urgente falar de Deus no mundo atual
Bento XVI: Deus não é um absurdo embora seja sempre um Mistério
Bento XVI fala de três vias para que o coração do homem chegue a Deus
O homem, mendigo de Deus: catequese de Bento XVI
A fé nunca é um ato puramente individual, destaca Bento XVI
Bento XVI: Não nos basta a ciência, é a fé que nos sustenta
Bento XVI: a plenitude humana consiste no amor
Missa de abertura do Ano da Fé

Podcast

Evangelho do dia

Lucas 24, 1-12

Evangelho
Data
03/30/14
03/29/14
03/28/14

Homilia do dia

Lucas 18,9-14

Homilia
Data
03/29/14
03/28/14
03/27/14

Mais Popular

  Assinar 
Cancelar Assinatura
  

Siga-nos: