Cientistas conseguem comunicar-se com pacientes em suposto "estado vegetativo"