Carregando...

Notícias do 27 de Março de 2012

Governo de Cuba isola opositores para que não estejam nas Missas de Bento XVI

SANTIAGO DE CUBA, 27/03/2012 (ACI).- A dissidência pacífica em Cuba denunciou que nos últimos dias o Governo comunista desatou uma forte onda repressiva para evitar que os opositores estejam nas Missas do Papa Bento XVI.

"A Comissão Cubana de Direitos humanos e Reconciliação Nacional pode confirmar que, a esta hora, o número de detidos nos últimos quatro dias é de pelo menos 150 pacíficos dissidentes", assinalou na segunda-feira à imprensa internacional o dissidente Elizardo Sánchez.

“Um número semelhante foi proibido de sair de suas casas ou de comparecer às Missas ou atos de acolhimento ao Papa pelos lugares que percorrerá”, acrescentou.

Esta denúncia foi respaldada das redes sociais por ativistas como José Daniel Ferrer da União Patriótica de Cuba (UNPACU), que informou desde sua conta no Twitter que no último domingo foram detidas em Palma Soriano duas mueres membros do grupo Damas de Branco Tania Montoya e Yanelis Elegica, enquanto que em Santiago de Cuba retidas Annia Alegre e Omaglis Glez também foram detidas. Assinalou que as detenções se estenderam a vários membros de seu movimento.

"Ao impedir os dissidentes –muitos deles católicos- de assistir às missas do Bispo de Roma, o regime pressiona militares comunistas e pessoas incapazes de expressar seu verdadeiro sentir, para que estejam presentes nas celebrações religiosas", assinalou a UNPACU em nota enviada ao grupo ACI.

Por sua parte, Oswaldo Payá, do Movimento Cristão Liberação (MCL), informou que “a dissidência de Santiago de Cuba está detida. Cortaram-me o telefone de casa e o celular”.

Payá recordou que Bento XVI “veio a ver todos os cubanos. Mas muitos que desejam vê-lo não poderão porque estão detidos, confinados ou ameaçados”.

Em um fato que chamou a atenção dos dissidentes, a empresa estatal cubana que brinda o acesso à Internet cortou o serviço na ilha até o dia 29 de março, um dia depois de finalizada a visita do Papa.

Nesse sentido, a bloggera Yoani Sánchez também denunciou em sua conta de Twitter que nestes isntantes em Cuba os celulares não podem receber as mensagens de texto enviados do exterior.

Ao fechamento da presente nota, Sánchez informou que Oswaldo Payá e José Daniel, junto a outros opositores, também tiveram seus telefones cortados.

“A missa entre montanhas, as palavras do #PapaCuba em meio de uma quebra de onda repressiva
Entre os poucos que ficamos twitteando até que nos alcance o blecaute da censura: @OLPL @Eliecer_cuba”, indicou.


Bento XVI aos cubanos: Que nada e ninguém vos roube a alegria interior

SANTIAGO DE CUBA, 27/03/2012 (ACI).- Em umas breves palavras dirigidas aos fiéis do Santiago de Cuba reunidos nos subúrbios do Santuário da Virgem do Cobre, o Papa Bento XVI os alentou a que " Que nada e ninguém vos roube a alegria interior, tão característica da alma cubana".

No marco de seu segundo dia em Cuba, o Papa Bento XVI visitou o Santuário da Virgem da Caridade do Cobre, padroeira de Cuba, aonde chegou para rezar aos pés da imagem Mariana, pedindo que abençoe a todos os cubanos.

Diante de bispos, o Papa pediu à Virgem que ensine os cubanos a escutarem o seu Filho e os ajude a superar o rancor, a inimizade e ser mais irmãos, assim como a viver a caridade. Logo, o Santo Padre acendeu uma vela aos pés da “Virgem Mambisa”.

Esta foi a segunda atividade do Papa no Santiago de Cuba. Logo partirá para Havana onde se reunirá em privado com o presidente Raúl Castro e os bispos cubanos.

A seguir o discurso completo do Santo Padre:

Amados irmãos e irmãs!

Vim como peregrino até ao solar da imagem sagrada de Nossa Senhora da Caridade – «a Mambisa», como carinhosamente a invocais. A sua presença nesta localidade de El Cobre é um presente do Céu para os cubanos.

Desejo saudar cordialmente todos os que aqui se encontram. Recebei o carinho do Papa e levai-o por todo o lado, para que a consolação e a fortaleza na fé sejam sentidas por todos. Fazei saber, a quantos se encontram perto ou longe, que confiei à Mãe de Deus o futuro da sua Pátria pedindo-Lhe que avance por caminhos de renovação e de esperança para o maior bem de todos os cubanos. Também pedi à Virgem Santíssima pelas necessidades das pessoas que sofrem, por aquelas que estão privadas da liberdade, longe dos seus entes queridos, ou que passam por graves
momentos de dificuldade.

Ao mesmo tempo coloquei no seu Coração Imaculado os jovens, paraque sejam verdadeiros amigos de Cristo e não cedam às propostas que deixam atrás de si a
tristeza.

Diante de Nossa Senhora da Caridade, lembrei-me também e de modo particular dos cubanos descendentes daqueles que para aqui vieram trazidos da África, assim como da população do vizinho Haiti, que sofre ainda as consequências do conhecido terremoto de dois anos atrás. E não esqueci tantos agricultores e suas famílias, que desejam viver intensamente nos
seus lares o Evangelho e oferecem também as suas casas como centros de missão para a celebração da Eucaristia.

A exemplo da Santíssima Virgem, encorajo todos os filhos desta amada terra a continuarem edificando a vida sobre a rocha firme que é Jesus Cristo, a trabalharem pela justiça, a serem servidores da caridade e perseverantes no meio das provações. Que nada e ninguém vos roube a alegria interior, tão característica da alma cubana. Deus vos abençoe. Muito obrigado.


Casulas e estolas da Missa papal em Cuba chegaram do Peru “cheias de orações”

Lima, 27/03/2012 (ACI).- As casulas e estolas que usarão mais de 150 de sacerdotes e diáconos durante a Missa que presidirá Bento XVI em Santiago de Cuba, no dia 26 de março, vieram do Peru “cheias de orações”.

A indumentária foi confeccionada pela fábrica de materiais litúrgicos “Talleres San José” em Lima (Peru) a pedido do Arcebispo de Santiago, Dom Dionisio García Ibáñez.

Verônica Lozada, leiga consagrada da Fraternidade Mariana da Reconciliação, explicou ao grupo ACI, que na confecção alentaram os trabalhadores “a que oferecessem o trabalho pelas intenções do Papa, para que essas casulas estivessem cheias de orações”.

“Foi um pedido muito especial, estávamos servindo a Igreja que é a razão de ser de “Talleres San José”, que é uma confecção artesanal de ornamentos litúrgicos, cuja direção está a cargo da Fraternidade Mariana da Reconciliação, sociedade de vida apostólica da Família Sodálite presente em nove países da América, Europa e Oceania.

Claudia Gómez, fraterna que mora na comunidade de Santo Domingo (República Dominicana), recordou que “Dom Dionisio esteve em Santo Domingo no fim de janeiro e aproveitamos a ocasião para que visse o desenho da primeira casula. Ele a experimentou e ficou muito contente com o trabalho e a qualidade, e nesse momento aprovou o desenho e se iniciaram os trabalhos em Lima”.

“Talleres San José” mandou a Cuba 80 casulas bordadas, 180 estolas para sacerdotes e 20 estolas diaconais.


Cuba: Bento XVI chegou a Havana

HAVANA, 27/03/2012 (ACI).- O Papa Bento XVI já se encontra em Havana (Cuba), onde foi recebido pelo Arcebispo local, Cardeal Jaime Ortega; na capital cubana o Santo Padre terá um encontro com o presidente Raúl Castro e presidirá amanhã uma Missa na Praça da Revolução.

O Boeing 777 da Alitalia aterrissou às 12:00h (hora local) no aeroporto internacional José Martí de Havana procedente de Santiago de Cuba, onde ontem segunda-feira presidiu uma multitudinária Missa e na manhã de hoje visitou o Santuário da Virgem da Caridade do Cobre.

De acordo ao programa, às 17:30h o Santo Padre se reunirá com o presidente cubano e outras autoridades locais no Palácio da Revolução de Havana. Posteriormente, às 19:15h Bento XVI terá um encontro e um jantar com os bispos cubanos na Nunciatura Apostólica.

Para amanhã, a Missa na Praça da Revolução está programada para as 9:00h.

Nos últimos dias a imprensa especulou sobre um possível encontro entre o Papa e Fidel Castro. Entretanto isto não foi confirmado.

Havana é a segunda cidade que visita o Papa na ilha, onde permanecerá desde a manhã da quarta-feira até às 17:00h, quando partirá para o Vaticano.


Bento XVI se reúne com o Raúl Castro em Cuba

HAVANA, 27/03/2012 (ACI).- O Papa Bento XVI se reúne nestes momentos com o presidente de Cuba, Raúl Castro, no Palácio da Revolução em Havana; não se informou quanto durará a reunião.

Logo depois da reunião, Bento XVI terá um encontro e jantar com os bispos cubanos na sede da Nunciatura Apostólica.

Ontem, durante a cerimônia de bem-vinda no Santiago de Cuba, o Papa recordou que a visita do Beato João Paulo II em 1998 inaugurou “uma nova etapa nas relações entre a Igreja e o Estado cubano” mas “ainda restavam muitos aspectos nos quais se pode e deve avançar” como “a contribuição imprescindível que a religião está chamada a desempenhar no âmbito público da sociedade”.

Neste primeiro discurso, Bento XVI disse diante de Raúl Castro que chega a Cuba como peregrino da caridade e que leva em seu coração “as justas aspirações e legítimos desejos de todos os cubanos, em qualquer lugar que se encontrem, seus sofrimentos e alegrias, suas preocupações e desejos mais nobres”.


Bento XVI pede a Raúl Castro que a Sexta-Feira Santa em Cuba seja feriado nacional

HAVANA, 27/03/2012 (ACI).- Durante um encontro pessoal de mais de 40 minutos, o Papa Bento XVI pediu ao Presidente de Cuba Raúl Castro reconhecer a Sexta-Feira Santa como feriado em Cuba por sua importância no calendário dos católicos.

Durante a conversa que se estendeu por mais de 40 minutos, “abordou-se um tema particular: o Papa fez presente (ao Presidente Castro) a importância da Sexta-Feira Santa, pedindo a possibilidade de um reconhecimento deste dia como festivo”, disse o P. Lombardi.

O porta-voz da Santa Sé recordou o pedido similar que o Beato João Paulo II apresentou a Fidel Castro em relação ao Natal. Como conseqüência daquele pedido, o governo cubano restabeleceu o 25 de dezembro como feriado nacional. O Natal tinha sido eliminado do calendário depois do triunfo da revolução.

“É obvio que isto algo que fica em mãos das autoridades cubanas, e esperamos uma resposta em um futuro não muito longínquo”, disse Pe. Lombardi.

Durante o encontro com Raúl Castro, o Presidente deu de presente ao Papa “uma bela escultura em madeira de Nossa Senhora da Caridade do Cobre, e o Santo Padre por sua parte deu de presente uma cópia facsimile de um volume antigo da Biblioteca Vaticano que é a tradução latina da Geografia de Ptolomeu, que inclui enriquecimentos cartográficos desde 1400 e a última atualização inclui um mapa do mundo de 1530 no qual já aparece o continente americano e está assinalada a ilha de Cuba”.


Capelão exorta os cubanos exilados a rezar à Virgem para que a visita papal seja uma bênção para Cuba

SANTIAGO DE CUBA, 27/03/2012 (ACI/EWTN Noticias).- O capelão do Santuário da Virgem da Caridade do Cobre, Pe. Jorge Palma, exortou aos cubanos que estão dentro e fora de Cuba a que rezem à Virgem para que a visita de Bento XVI seja uma bênção para a ilha.

O padre animou os cubanos a “que peçam à virgem que a visita do Papa seja uma bênção para todos os cubanos fora e dentro, porque quanto maior seja a bênção a Cuba, todos os cubanos, onde quer que estejam, poderão recebê-la também. Assim também se sentirão muito vinculados com os que vivemos aqui porque todos somos família”, afirmou o sacerdote em diálogo com o grupo ACI.

No marco da visita do Papa Bento XVI, o Pe. Palma recordou o significado que esta devoção Mariana tem para o povo cubano. “A Virgem da Caridade do Cobre é ponto de referência para os cubanos”, símbolo da perseverança na fé e da sua identidade como povo, afirmou.

Por sua parte, o Pe. Jorge Luis Pérez Soto, ex-pároco da Catedral de Havana, coincidiu ao assinalar que a Virgem da Caridade está ligada à história da ilha e aos anos difíceis da fé.

Dias atrás, em diálogo desde Roma com o grupo ACI, o sacerdote afirmou que esta devoção “está ligada à nossa história, nos anos difíceis de vivência da fé em Cuba", pois durante os primeiros anos do regime comunista, "a Virgem e a imagem do Sagrado coração de Jesus eram os dois únicos símbolos religiosos que se conservaram na maioria dos lares cubanos".

"Conservaram-se certamente escondidos muitas vezes com temor de que fossem vistos, e fossem assinalados, mas nunca esquecerei a pequena imagem da Virgem do Cobre que presidia a habitação de meus avós e que era a referência religiosa da casa", recordou.

Nesse sentido, disse que a Virgem da Caridade é "para a formação da nacionalidade cubana um ponto de encontro" e de "reconciliação para o cubano que a olhe com esperança".

"O que significa Maria da Caridade para os cubanos? Significa ou poderia significar a melhor das melhores mães para o coração de seus filhos", afirmou.

Bento XVI se encontra em Cuba para celebrar os 400 anos do achado da imagem da Virgem da Caridade, Nesta terça-feira, 27, o Papa visitará o santuário Mariano cubano.

História da imagem

A 16 quilômetros ao oeste de Santiago de Cuba se encontra a vila do Cobre, fundada em 1598. Ao sul desta região se encontra o Santuário de Nossa Senhora da Caridade.

Conta a tradição que em uma manhã de 1628 saíram da Barajagua à baía de Nipe a procurar sal dois indígenas de sobrenome Hoyos e um escravo negro de dez anos de idade. Chegados a este lugar viram que era impossível compilar o sal pois o mar estava agitado.

Os três procuraram refúgio e ao longo de três dias puderam embarcar em uma canoa e dirigir-se às salinas da costa. Pouco distante da costa descobriram sobre as ondas um objeto branco, que pensaram ser o cadáver de alguma ave marinha. Entretanto advertiram com grande surpresa que o objeto flutuante era uma imagem da Virgem Maria colocada sobre uma tábua. Tomaram a imagem depositando-a na canoa e leram na tábua uma inscrição que dizia: "Eu a sou Virgem da Caridade". Levaram a Virgem na canoa e logo depois de recolher o sal, voltaram para Barajagua onde já tinha chegado a notícia do achado. A imagem foi transladada ao altar maior da igreja paroquial, onde um homem de fé chamado Marías de Olivera ofereceu dedicar-se a seu serviço.

A imagem da Virgem da Caridade é pequena e seu rosto redondo. No braço esquerdo sustenta o Menino Jesus que em uma mão tem um globo terrestre. Em 10 de maio de 1916, o Papa Bento XV, proclamou-a Padroeira da ilha.


Imprensa cubana tenta destacar “coincidências” entre o cristianismo e revolução lendo Frei Betto

SANTIAGO DE CUBA, 27/03/2012 (ACI/EWTN Noticias).- Enquanto a onda de rumores internos em Cuba segue comentando que Fidel Castro pediria ser readmitido à Igreja católica e que o presidente venezuelano Hugo Chávez pediria uma bênção especial do Papa Bento XVI durante sua visita a Cuba onde se encontra recebendo seu tratamento oncológico; a imprensa oficial cubana destacou antes da chegada do Pontífice, as supostas coincidências entre a fé católica e a revolução.

O jornal "Trabajadores", que se descreve como "órgão oficial" da Central de Trabalhadores de Cuba, publicou nesta segunda-feira uma nota titulada "Fidel e a Religião: uma conversa transcendente", na que assinala que "o dogma dos reacionários sobre a impossibilidade de entendimento entre cristãos e comunistas vão por água abaixo" quando se revisam passagens do livro "Fidel e a Religião", que o teólogo da libertação brasileiro Alberto Libanio, mais conhecido como "Frei Betto", publicou em 1986.

O artigo recolhe o argumento apresentado por Fidel no livro, segundo o qual o comunismo não promove o ódio aos seres humanos e sim às injustiças e aos sistemas. Também recorda as palavras que Castro escreveu em uma dedicatória a Frei Betto: "Ainda não conseguiu, mas se alguém pode fazer de mim um crente este é Frei Betto".

"Trabajadores" publica ademais, junto ao extenso artigo sobre "Fidel e a Religião", uma entrevista de duas perguntas com a poetisa Fina García Marruz, de 89 anos, que declara que em sua vida pessoal “não tive que conciliar nada, como militante revolucionária e crente, pois se trata de uma Revolução justa e uma religião que quer o melhor… ambas, embora diferentes, aspiram a um bem comum".

Tanto fontes da Igreja como do governo negaram enfaticamente que Fidel Castro tenha alguma intenção especial para o seu encontro com o Papa Bento, "além de um mero encontro de cortesia"; por outro lado, já no domingo o Pe. Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, havia assinalado que "até o momento", não havia nenhum plano de um encontro do Papa Bento com Hugo Chávez.

A onda de rumores, entretanto, cresce com o acesso de alguns cubanos às redes sociais, que seguem insistindo que ambas histórias são verazes.


É pouco provável que Fidel Castro se converta, afirma sua filha

ROMA, 27/03/2012 (ACI/EWTN Noticias).- Alina Fernández, filha de Fidel Castro, disse nesta segunda-feira que é pouco provável que seu pai se reconcilie com a Igreja durante a visita do Papa Bento XVI a Cuba.

"Seria muito bom que meu pai, doente e já avançado em idade, volte para as raízes da fé na qual foi criado, quando estudou com os jesuítas. Restabelecer-se-ia a humanidade que perdeu. Mas não acredito (nisto), porque acho que ele se considera imortal”, declarou Fernández ao jornal italiano La Stampa.

Bento XVI chegou hoje a Havana onde será recebido pelo presidente Raúl Castro, de 80 anos de idade, irmão mais novo de Fidel Castro, a quem sucedeu em 2008, como chefe de Estado.
Os meios de comunicação especularam nos últimos dias sobre um possível encontro entre Fidel e o Pontífice durante a visita papal, na qual o dirigente comunista aproveitaria para reconciliar-se com a Igreja.

Fernández disse que grande parte desta especulação mediática parece ser atribuída a ela, algo que não tem fundamento porque segundo ela mesmo afirmou: “eu seria a última a sabê-lo”.
Aos 56 anos de idade, Alina Fernández é filha ilegítima de Castro. Também é uma aberta crítica do regime comunista de Cuba, estabelecido pelo seu pai depois da Revolução Cubana de 1959. Fernández fugiu de sua pátria em 1993 e agora vive em Miami (Estados Unidos).

Fernández disse que tem “sentimentos encontrados” sobre a visita do Papa a Cuba. Ela indicou que não tem dúvidas de que esta “será utilizada pelo meu pai e meu tio Raúl” com fins propagandísticos. Mas também reconhece que para os fiéis "a presença do Papa é muito importante."

Alina Fernández também assinalou que a visita papal serve para destacar que Cuba mudou muito recentemente em relação ao tempo em que “ser católico em Cuba era um obstáculo ideológico”. “Você tinha que ocultar sua fé, se não queria ser perseguido", acrescentou.

Na semana passada, quando o Papa Bento XVI foi perguntado sobre o futuro de Cuba ele disse que "é evidente hoje que a ideologia marxista como foi concebida antes já não responde à realidade" e acrescentou que "devem ser encontrados novos modelos, com paciência”.

A filha de Castro disse que não acredita que a visita do Papa será um catalisador para a reforma política, pois não considera que “a possibilidade de uma mudança" possa ser "gerada pela visita de um líder religioso”. Ela advertiu que apesar dos anos, seu pai e seu tio, só têm uma estratégia política, que consiste em "manter-se no poder. Nada mais, sem transição".

Fernández disse que não tem "nenhum interesse" em uma reconciliação com seu pai. "Ele não quer me ver, e eu não entendo por que devo procurar um homem quando não estou de acordo com 90 por cento do que fez”, concluiu.


RECOMENDAMOS »

Abr
25

Católico em dia

25 de abril de 2014

  • Você sabia que: Ao princpío, o título de Cardeal se atribuía genericamente às pessoas ao serviço de uma igreja ou diaconia, reservando-o mais tarde aos responsáveis das Igrejas titulares de Roma e das igrejas mais importantes da Itália e do estrangeiro.

Videos

A falta de oração leva à mediocridade espiritual
A falta de oração leva à mediocridade espiritual
Papa Francisco: Nem a doença, nem a morte, poderá nos separar de Cristo
O Papa: A Igreja é a casa da Alegria
A comunhão fraterna leva à comunhão com Deus, diz o Papa
O Papa no Encontro Mundial das Famílias: Viver a Reconciliação Sempre
Maria é modelo de caridade e união com Cristo, destaca o Papa
Francisco exorta a rezar sempre sem jamais cansar-se
Rezar e anunciar o Evangelho é tarefa de todo cristão, afirma Francisco
Deus, nossa força, nos surpreende e nos pede sermos fiéis
O verdadeiro cristão segue o Senhor até a Cruz
A fé é a respiração da alma
Papa Francisco sobre Naufrágio em Lampedusa: uma vergonha!
Deus sempre acompanha a humanidade ao longo da história
Bento XVI: Jesus nos mostra o rosto de Deus
Bento XVI recorda que devemos ser sinais da ação de Deus no mundo
Bento XVI: é urgente falar de Deus no mundo atual
Bento XVI: Deus não é um absurdo embora seja sempre um Mistério
Bento XVI fala de três vias para que o coração do homem chegue a Deus
O homem, mendigo de Deus: catequese de Bento XVI
A fé nunca é um ato puramente individual, destaca Bento XVI
Bento XVI: Não nos basta a ciência, é a fé que nos sustenta
Bento XVI: a plenitude humana consiste no amor
Missa de abertura do Ano da Fé
Bento XVI: O concílio e a beleza da nossa fé
A oração jamais pode ser feita de modo individualista

Podcast

Evangelho do dia

Lucas 24, 1-12

Evangelho
Data
03/30/14
03/29/14
03/28/14

Homilia do dia

Lucas 18,9-14

Homilia
Data
03/29/14
03/28/14
03/27/14

Mais Popular

  Assinar 
Cancelar Assinatura
  

Siga-nos: