Carregando...

Notícias do 19 de Fevereiro de 2012

O Papa: Na Igreja Católica Deus abre o mundo à fé e ao amor

Vaticano, 19/02/2012 (ACI/EWTN Noticias).- O Papa Bento XVI assinalou que a Igreja Católica, liderada pelo Sucessor de São Pedro, o Papa, é o lugar onde Deus se encontra com o mundo para abri-lo à fé e o amor que necessitam as pessoas para ser plenamente felizes.

Com ocasião da Festa da cátedra de São Pedro, que se celebra no dia 22 de fevereiro mas que foi adiantada para este domingo, e um dia depois de ter criado 22 novos cardeais, o Santo Padre indicou que "a própria Igreja é como que uma janela, o lugar onde Deus Se faz próximo, vem ao encontro do nosso mundo. A Igreja não existe para si mesma, não é o ponto de chegada, mas deve apontar para além de si, para o alto, acima de nós. A Igreja é verdadeiramente o que deve ser, na medida em que deixa transparecer o Outro – com o "O" grande – do qual provém e para o qual conduz".

"A Igreja é o lugar onde Deus «chega» a nós e donde nós «partimos» para Ele; a este mundo que tende a fechar-se em si próprio, a Igreja tem a missão de o abrir para além de si mesmo e levar-lhe a luz que vem do Alto e sem a qual se tornaria inabitável".

Na homilia da Missa que celebrou na Basílica de São Pedro junto aos novos cardeais, o Papa explicou que a verdadeira fé está orientada ao amor, pois "uma fé egoísta seria uma fé não-verdadeira. Quem crê em Jesus Cristo e entra no dinamismo de amor que encontra a sua fonte na Eucaristia, descobre a verdadeira alegria e torna-se, por sua vez, capaz de viver segundo a lógica desde dom".

"Na Igreja, tudo se apoia na fé: os sacramentos, a liturgia, a evangelização, a caridade. Mesmo o direito e a própria autoridade na Igreja assentam na fé. A Igreja não se auto-regula, não confere a si mesma o seu próprio ordenamento, mas recebe-o da Palavra de Deus, que escuta na fé e procura compreender e viver", afirmou o Papa.

Ao referir-se à Cátedra de São Pedro, Bento XVI sublinhou que aquela "A Cátedra aparece em grande destaque neste lugar, não só porque está aqui o túmulo do apóstolo Pedro, mas também porque ela encaminha para o amor de Deus".

“A grande cátedra de bronze contém dentro dela uma cadeira em madeira, do século IX, que foi considerada durante muito tempo a cátedra do apóstolo Pedro e, precisamente pelo seu alto valor simbólico, colocada neste altar monumental. Na realidade, exprime a presença permanente do Apóstolo no magistério dos seus sucessores", recordou.

O Papa indicou que "podemos dizer que a cadeira de São Pedro é o trono da verdade, cuja origem está no mandato de Cristo depois da confissão em Cesareia de Filipe. A cadeira magistral renova em nós também a lembrança das seguintes palavras dirigidas pelo Senhor a Pedro no Cenáculo: «Eu roguei por ti, para que a tua fé não desapareça. E tu, uma vez convertido, fortalece os teus irmãos» ".

Bento XVI assinalou também que "a grande Cátedra é sustentada pelos Padres da Igreja. Os dois mestres do Oriente, São João Crisóstomo e Santo Atanásio, juntamente com os latinos, Santo Ambrósio e Santo Agostinho, representam a totalidade da tradição e, conseqüentemente, a riqueza da expressão da verdadeira fé na santa e única Igreja".  

O Papa disse aos novos cardeais que "a nova dignidade que vos foi conferida pretende manifestar o apreço pelo vosso trabalho fiel na vinha do Senhor, homenagear as comunidades e nações donde provindes e de que sois dignos representantes na Igreja, investir-vos de novas e mais importantes responsabilidades eclesiais e, enfim, pedir-vos um suplemento de disponibilidade para Cristo e para a comunidade cristã inteira".

Ao recordar o Evangelho de hoje, Bento XVI indicou que este "O texto evangélico de hoje apresenta Pedro que, movido por uma inspiração divina, exprime firmemente a sua fé em Jesus, o Filho de Deus e o Messias prometido. Respondendo a esta profissão clara de fé, que Pedro faz também em nome dos outros Apóstolos, Cristo revela-lhe a missão que pensa confiar-lhe: ser a «pedra», a «rocha», o alicerce visível sobre o qual será construído todo o edifício espiritual da Igreja".

Conforme explicou o Papa, "Esta denominação de «rocha-pedra» não alude ao caráter da pessoa, mas só é compreensível a partir dum aspecto mais profundo, a partir do mistério: através do encargo que Jesus lhe confere, Simão Pedro tornar-se-á aquilo que ele não é mediante «a carne e o sangue».".

"Esta passagem evangélica que escutamos, encontra uma mais recente e eloqüente explicação em um elemento artístico muito notório que embeleza esta Basílica Vaticano: o altar da Cadeira", assinalou.

Bento XVI indicou que "este episódio evangélico, que escutamos, encontra subsequente e mais eloquente explicação num elemento artístico muito conhecido, que enriquece esta Basílica Vaticana: o altar da Cátedra. Quando, depois de percorrer a grandiosa nave central e ultrapassar o transepto, se chega à abside, encontramo-nos perante um trono de bronze enorme, que parece suspenso em voo mas na realidade está sustentado por quatro estátuas de grandes Padres da Igreja do Oriente e do Ocidente".

"Que nos diz este conjunto escultório, nascido do gênio de Bernini? Representa uma visão da essência da Igreja e, no seio dela, do magistério petrino", disse.

“Amados irmãos e irmãs, a nós, a cada cristão, está confiado o dom deste amor: um dom que deve ser oferecido com o testemunho da nossa vida. Esta é de modo particular a vossa missão, venerados Irmãos Cardeais: testemunhar a alegria do amor de Cristo".

Virgem Maria, presente na comunidade apostólica reunida em oração à espera do Espírito Santo, confiamos agora o vosso novo serviço eclesial. Que Ela, Mãe do Verbo Encarnado, proteja o caminho da Igreja, sustente com a sua intercessão a obra dos Pastores e acolha sob o seu manto todo o Colégio Cardinalício. Amém!”, concluiu Santo Padre.


O Papa: Sejam fiéis à mensagem de Cristo para que chegue a toda a Terra

Vaticano, 19/02/2012 (ACI/EWTN Noticias).- O Papa Bento XVI alentou os 22 novos cardeais  a viverem a fidelidade à mensagem de Cristo e a colaborar com os novos cardeais e com quem têm uma maior responsabilidade no anúncio do Evangelho para fazer que chegue a todos os lugares da terra.

Em suas palavras prévias à reza do ângelus com os milhares de fiéis reunidos na Praça de São Pedro, o Papa assinalou que "este domingo particularmente festivo aqui no Vaticano,por causa do Consistório, que teve lugar ontem, no qual criei 22 novos cardeais".

Por isso, disse Bento XVI, "convido-os a unir também sua oração por estes venerados irmãos, que agora estão mais comprometidos a colaborar comigo na guia da Igreja universal e a dar testemunho do Evangelho até o sacrifício da própria vida".

Em espanhol o Santo Padre se dirigiu de maneira particular aos "bispos, presbíteros, pessoas consagradas e fiéis vieram para acompanhar os novos Cardeais. Acompanhem também com a oração e a colaboração em sua nova responsabilidade".

Na celebração da Cátedra de São Pedro, que este ano foi adiantada para este domingo porque nos dia 22 quarta-feira de Cinza, o Santo Padre convidou "a todos a serem fiéis à mensagem de Cristo irradiado pelos Apóstolos e a ter presentes na prece a quantos receberam o ministério de fazer chegar a luz do Evangelho através dos tempos em todos os cantos da terra".

Em italiano o Papa explicou que a cor vermelha do hábito cardinalício simboliza a vontade de entregar a própria vida no cumprimento de sua missão, e recordou as palavras do Jesus a seus apóstolos: "quem queira ser o primeiro que se faça servidor de todos. Porque o mesmo Filho do homem não veio para ser servido, a não ser para servir e dar sua vida em resgate por uma multidão’.

O Pontífice explicou logo que "a ‘Cátedra a cadeira reservada ao Bispo, de onde deriva o nome ‘Catedral’ dada à Igreja aonde, em efeito, o Bispo preside a liturgia e ensina o povo".

A Cátedra de São Pedro, "representada na abside da Basílica Vaticano por uma imponente escultura do Bernini, símbolo da especial missão de Pedro e de seus Sucessores de apascentar o rebanho de Cristo tendo-o unido na fé e na caridade".

Bento XVI disse que "tal especial compromisso de serviço dado à comunidade romana e a seu Bispo pelo fato de que nesta cidade verteram seu sangue os Apóstolos Pedro e Paulo, assim como outros numerosos mártires".

"Deste modo, voltamos para testemunho do sangue e da caridade. A Cátedra do Pedro, portanto, sinal de autoridade, mas aquela de Cristo, apoiada na fé e no amor".

Depois de encomendar os novos cardeais ao amparo da Virgem, o Papa fez votos para que Santa Maria "ajude-me e ajude meus colaboradores a trabalharmos incansavelmente pela unidade do povo de Deus e a anunciarmos a todas as gentes a mensagem de salvação, cumprindo humildemente e com coragem o serviço da verdade na caridade".


RECOMENDAMOS »

Nov
26

Católico em dia

26 de novembro de 2014

  • Você sabia que: Na Páscoa, o símbolo da luz associa-se ao conhecimento, a tomar consciência de algo novo frente à escuridão da ignorância. Por isso a luz é vida e salvação.

Videos

Santo Antônio de Pádua
Santo Antônio de Pádua
San José de Anchieta
A falta de oração leva à mediocridade espiritual
Papa Francisco: Nem a doença, nem a morte, poderá nos separar de Cristo
O Papa: A Igreja é a casa da Alegria
A comunhão fraterna leva à comunhão com Deus, diz o Papa
O Papa no Encontro Mundial das Famílias: Viver a Reconciliação Sempre
Maria é modelo de caridade e união com Cristo, destaca o Papa
Francisco exorta a rezar sempre sem jamais cansar-se
Rezar e anunciar o Evangelho é tarefa de todo cristão, afirma Francisco
Deus, nossa força, nos surpreende e nos pede sermos fiéis
O verdadeiro cristão segue o Senhor até a Cruz
A fé é a respiração da alma
Papa Francisco sobre Naufrágio em Lampedusa: uma vergonha!
Deus sempre acompanha a humanidade ao longo da história
Bento XVI: Jesus nos mostra o rosto de Deus
Bento XVI recorda que devemos ser sinais da ação de Deus no mundo
Bento XVI: é urgente falar de Deus no mundo atual
Bento XVI: Deus não é um absurdo embora seja sempre um Mistério
Bento XVI fala de três vias para que o coração do homem chegue a Deus
O homem, mendigo de Deus: catequese de Bento XVI
A fé nunca é um ato puramente individual, destaca Bento XVI
Bento XVI: Não nos basta a ciência, é a fé que nos sustenta
Bento XVI: a plenitude humana consiste no amor
Missa de abertura do Ano da Fé

Mais Popular

  Assinar 
Cancelar Assinatura
  

Siga-nos: