Novena a Nossa Senhora da Aparecida


I. dia da Novena

POR UMA TERRA SEM MALES,
AME A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS!

Deus deve ocupar a prioridade absoluta na vida de todo ser humano e na construção da sua história. Sem Deus, o ser humano e o universo ficam sem direção, e cada um tentará ser o deus do outro, caindo no abismo da morte. Só o Deus de Jesus é o Deus da Vida e do Amor, que nos fazem viver eternamente.

1. Introdução

2. Procissão de entrada

3. Saudação

P.: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
T.: Amém!
P.: Irmãos e Irmãs, voltemos o nosso olhar para o Deus da Vida. Desde toda a eternida-de, Ele olha para a humanidade com amor eterno: "quem vos toca, toca a menina dos meus olhos" (Zc 2,8).
T.: Bendito seja Deus, que nos reúne no amor de Jesus e de Maria!

4. Maria nos ensina a amar a Deus sobre todas as coisas

L.: O amor eterno do Pai ressoou em Nazaré, aos ouvidos de uma jovem chamada Maria: "Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo". E ela respondeu:
T.: "Faça-se em mim, segundo a tua palavra!"
L.: Na vida de Maria, Deus teve o primeiro lugar. Ela o amou acima de seus planos, de seus interesses. Ela o escutou e decidiu-se pela vontade dele.
T.: Como seríamos felizes se Deus ocupas-se sempre o primeiro lugar em nossa vida!

5. Maria vem ao nosso encontro

L.: Maria nos ajuda a compreender o desejo de Deus para toda a humanidade. Ela nos faz compreender o que é viver o profundo de nossa vocação: ser gente e ser de Deus; estar no mundo sem ser do mundo.
T.: Por Maria, nós nos encontramos com Deus e com os irmãos!
L.: Amar a Deus sobre todas as coisas é reco-nhecer sua presença na história humana, tão cheia de fragilidades. É deste modo que so-mos chamados a servir-lhe e amá-lo, princi-palmente nos sofredores e abandonados.
T.: Servimos a Deus quando excluímos nossos egoísmos!
L.: Com Maria aprendemos a amar, servir e construir uma terra sem ódio, vingança e ran-cor: "uma terra sem males" (Entronização da Imagem e Procissão das flo-res)

6. Maria nos ensina com a Palavra de Deus

L.: Jesus falou de nosso dever para com Deus, com estas palavras:
T.: "Amarás o Senhor, teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todo o teu entendimento!" (Mt 22,37).
L.: Quando ficou no templo de Jerusalém dis-cutindo com os sábios, Ele respondeu a Ma-ria e José:
T.: "Não sabíeis que devo ocupar-me das coisas de meu Pai?" (Lc 2,49).
L.: Tantas vezes a ganância faz do dinheiro o deus de muitos corações, ocupando o primeiro lugar em suas vidas. Essa idolatria pesa e ex-plora tantos irmãos e irmãs.
T.: Como são pisados e explorados os po-vos indígenas!
L.: Que a Palavra de Deus ressoe no mundo inteiro e faça morada no coração de cada um de nós!
T.: Que assim seja! Que assim se realize!

7. Anúncio da Palavra de Deus (Lc 2,41-48 - Mensagem)

8. Súplica a Maria

P.: Maria, Mãe e Senhora nossa, agora vos supli-camos com todo amor e confiança. O nosso de-sejo é colocar Deus em primeiro lugar, sobre to-das as coisas, como vós o colocastes em vossa vida. Escutai, benigna, as nossas súplicas! Sois Mãe de Jesus, Filho de Deus.

- Maria, clamamos a vós! Saúdam-vos todas as gentes. Os povos da terra repetem: POR UMA TERRA SEM MALES, AME A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS!

Deus deve ocupar a prioridade absoluta na vida de todo ser humano e na construção da sua história. Sem Deus, o ser humano e o universo ficam sem direção, e cada um tentará ser o deus do outro, caindo no abismo da morte. Só o Deus de Jesus é o Deus da Vida e do Amor, que nos fazem viver eternamente. Bendita sois entre as mulheres.

- Lá no céu, rogai a Deus por nós!

L.: Maria, hoje queremos honrar o nome de Deus, este santo nome, que tantas vezes é pronunciado até para justificar atitudes de-sumanas que oprimem os vossos filhos e fi-lhas. Por isso, Maria, clamamos a vós! Senhora, sois nossa esperança.

- Maria, clamamos a vós! Por todos os injustiçados. Por quem não respeita o Deus vivo. Por todos os pobres do mundo. Por todos que cantam felizes.

- Lá no céu, rogai a Deus por nós!

L.: O nome de Deus não é para justificar atroci-dades, atentados, seqüestros, violências. Nin-guém pode, em nome de Deus, ferir ou matar. A lei maior do Pai é a vida, a fraternidade e a justiça. Para que todos os povos, raças e na-ções, na prática da justiça, honrem o nome de Deus, Maria clamamos a vós. Senhora, rogai pelo mundo.

- Maria, clamamos a vós! E para que todos se amem. Por uma "terra sem males". Bendito quem busca a paz. Bendito quem ama a Deus.

- Lá no céu, rogai a Deus por nós!

L.: Deus é o absoluto em nossa vida. Nada deve ocupar o lugar dele. Nenhuma pessoa é tão auto-suficiente que seja capaz de fazer a história sozi-nha. Constrói o mundo e faz a história quem ca-minha com Deus e o ama. Assim foi a Virgem de Nazaré. Por isso, Maria, clamamos a vós. Senhora, sois filha do Pai.

- Maria, clamamos a vós! Que Deus seja tudo em todos. Que amemos a Deus por primeiro. E que nos amemos em Deus. A Deus sempre o nosso louvor.

- Lá no céu, rogai a Deus por nós!

P.: Maria, levai até junto do Pai as súplicas que vos fizemos. Velai por todos os brasilei-ros e pelo povo latino-americano para que sejamos felizes na construção da vida, colo-cando Deus em primeiro lugar em tudo o que fizermos. Por Cristo, nosso Senhor.

T.: Amém!

9. Maria nos leva a Jesus Eucarístico

L.: Maria e José procuraram Jesus na multi-dão e o encontraram no templo entre os sábi-os da lei.
T.: Nós o encontramos na vida de nossos irmãos!
L.: Nós o encontramos no sacrário da vida de nossos irmãos que sofrem, nos doentes, na-queles que precisam de misericórdia.
T.: Nós o encontramos no sacramento do altar; no sacrário da vida de nossos irmãos!
L.: Amar a Jesus na Eucaristia é realizar o seu desejo: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos!
(Entronização do Santíssimo e Procissão dos alimentos)

10. Maria nos leva a rezar

P.: Deus nos amou por primeiro. Ele tomou a iniciativa do amor, sem merecimento nosso. Porque Ele nos ama, manifestemos agora a nossa confiança nele, com as nossas preces. Por isso, rezemos:
T.: Que Deus ocupe em nós o primeiro lugar!

1. Para que a indiferença não tenha lugar em nós e no mundo, rezemos ao Senhor.
2. Para que não aconteça em nossas comuni-dades a ingratidão para com Deus que nos ama, rezemos ao Senhor.
3. Para que jamais tenhamos medo de respon-der aos apelos divinos, rezemos ao Senhor.
4. Para que o orgulho não tenha lugar na vida das pessoas e da sociedade, rezemos ao Se-nhor.
5. Para que na Eucaristia, que é Jesus, descu-bramos sempre o imenso amor de Deus por nós, rezemos ao Senhor.

P.: Senhor Jesus, por intercessão de Maria Santíssima, vossa Mãe, dai-nos alcançar tudo o que vos pedimos neste dia e nesta novena.
T.: Amém!

11. Bênção do Santíssimo

L.: Não há maior amor que dar a vida pelo irmão.
T.: Amor a Deus acima de tudo. Amor ao próximo como a nós mesmos!
L.: Ninguém é feliz sem Deus.
T.: Ninguém é feliz sem amor a Jesus!
L.: Não ama a Deus em primeiro lugar quem não ama o irmão, a irmã, o indígena, o sofredor.
T.: Ama a Deus quem ama também o seu irmão, a sua irmã!

12. Abraço da Paz
13. Consagração a Nossa Senhora
14. Despedida

 

II. Dia da Novena

POR UMA TERRA SEM MALES,
NÃO TOME O NOME DE DEUS EM VÃO!

Respeitar o nome de Deus é respeitar as próprias pessoas da Ssma. Trindade. O Nome de Deus jamais pode ser invocado para motivar a violência contra outro ser humano. Oxalá todas as religiões proclamassem juntas o dogma de que o verdadeiro Deus não é jamais causa de discórdias, violências e terrorismos entre pessoas, religiões e povos.

1. Introdução
2. Procissão de entrada
3. Saudação

P.: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
T.: Amém!
P.: Irmãos e Irmãs, voltemos o nosso olhar para o Deus da Vida. Desde toda a eternida-de, Ele olha para a humanidade com amor eterno: "quem vos toca, toca a menina dos meus olhos" (Zc 2,8).
T.: Bendito seja Deus, que nos reúne no amor de Jesus e de Maria!

4. Maria nos ensina a não tomar o nome de Deus em vão

L.: A realidade que vivemos revela que o nome de Deus vem sendo colocado em estruturas e ideologias para justificar situações de peca-do, que devoram a vida das pessoas. Tudo em nome de Deus e nada a favor do homem imagem de Deus.
T.: Maria, queremos honrar o nome de nosso Deus, em cada instante da nossa vida!
L.: Tomar o nome de Deus em vão é fugir da responsabilidade de construir um mundo alicerçado no Reino de Deus, que é a "terra sem males". Levar a sério o nome de Deus é buscar vida para todos. Maria levou a sério o nome de Deus.
T.: A minha alma engrandece o Senhor, exulta meu espírito em Deus meu Salvador!

5. Maria vem ao nosso encontro

L.: A imagem de Nossa Senhora Aparecida revela a ternura do amor de Deus na história do povo brasileiro. A presença da Mãe nos convida à tomada de consciência de que Deus e seu nome são sinais da unidade de todos. Invocar o nome de Deus é invocar o amor em nossa vida.
T.: Vem, Maria, vem, vem nos ajudar, nes-te caminhar tão difícil rumo ao Pai!
L.: A ausência de Deus é a grande falha que sofre a nossa sociedade hoje. Tantas vezes o seu nome é usado para justificar desen-contros. Mas a Mãe encontrada nas águas do rio Paraíba garante ao povo brasileiro: quan-do o nome de Deus e seu projeto são leva-dos a sério, é possível encontrar vida para todos.
T.: Vem, Maria, vem, vem nos ajudar, nes-te caminhar tão difícil rumo ao Pai!
(Entronização da Imagem e Procissão das flo-res)

6. Maria nos ensina com a Palavra de Deus

L.: A Palavra de Deus é presença do nome, da pessoa divina no dinamismo da história. O povo de Deus soube experimentar essa presença e dar-lhe o devido respeito. Em sua veneração por essa presença divina, Maria logo lhe deu o seu sim, quando solicitada.
T.: Maria, ensinai-nos a dar o sim ao Deus da Vida!
L.: A Palavra vem ser o centro da nossa novena. E nela encontramos respostas para os desafios do nosso dia-a-dia. A "terra sem males" é a terra onde todos vivem a partir da Palavra de Deus.
T.: Maria, ensinai-nos a dar o sim ao Deus da Vida!
L.: A Palavra de Deus leva-nos a viver a ver-dadeira religião. E Maria, como Mestra, quer libertar-nos de falsos valores do Cristianismo, do Islamismo e do Judaísmo, ao usarem do nome de Deus para tirar vidas inocentes, para propor discriminações entre pessoas, povos, raças e religiões.
T.: Maria, ensinai-nos a dar o sim ao Deus da Vida!
L.: Maria continua guiando o povo de Deus, com o convite: "Fazei tudo o que Ele vos disser". Abrindo o nosso coração para a Pa-lavra, encontraremos o caminho da "terra sem males".
T.: Maria, ensinai-nos a dar o sim ao Deus da Vida!
L.: Vinde, Palavra viva, vinde iluminar o povo que anda nas trevas. Vinde, Palavra viva, li-bertar- nos de toda escravidão. Vinde, Palavra viva, ser alimento para esse povo faminto de justiça.
T.: Maria, ensinai-nos a dar o sim ao Deus da Vida!

7. Anúncio da Palavra de Deus (Mt 5,33-37 - Mensagem)
8. Súplica a Maria (Salve, Rainha)

P.: Senhora e Mãe Aparecida, confiamos em vossa intercessão materna. Em nosso vale de lágrimas, provocadas pelo desrespeito ao nome de Deus, pela violência à vida humana, pela ganância e pela difamação do próximo, nós vos suplicamos que nos mostreis o fruto bendito do vosso ventre, para que seja o nos-so Salvador.
L.: Diante da pequenina imagem de Nossa Senhora Aparecida, cantemos a Salve, Rainha, na certeza de que a Mãe de misericórdia as-sumirá como seus filhos a todos nós, que so-mos filhos de Eva. Salve Rainha, Mãe de misericórdia

- Virgem das virgens, rogai a Deus por nós!

Vida, doçura, esperança nossa, salve! A vós bradamos, os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando. Neste vale de lágrimas, neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa. Esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei. E, depois deste desterro, mostrai-nos Jesus. Bendito fruto do vosso ventre. Ó clemente, ó piedosa, ó doce Virgem Maria!

L.: Que Maria Santíssima nos leve a observar o segundo mandamento, para que façamos com que o nome de Deus seja respeitado em nossos corações e em todas as instituições de nossa sociedade. Fazei que nosso Deus seja amado e respeita-do.

- Virgem das virgens, rogai a Deus por nós!

Que em nome de Deus jamais se faça violên-cia. Que o nome de Deus Pai nos convoque para a paz. Que o nome de Jesus seja a salvação de todos. Que o nome do Espírito Santo seja fonte de união.

P.: Senhora e Mãe Aparecida, com a vossa intercessão nós construiremos "uma terra sem males", um Brasil sem miséria e sem fome, através de um mutirão de amor e de solidari-edade. Dai-nos, Mãe Santíssima, superar o des-terro, já, aqui neste mundo, para sermos to-dos cidadãos da terra e do céu. É o que pedi-mos que supliqueis ao vosso divino Filho, ele que vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém.

9. Maria nos leva a Jesus Eucarístico

L.: Maria carregou no seu seio o Deus vivo e verdadeiro. Agora revela ao povo esse mesmo Deus, o seu Filho Jesus, como o nosso alimento. Jesus Eucarístico é a fonte da vida, é já a terra prometida onde só exis-te o amor.
T.: Maria, ajudai-nos a ser sacrários vivos de vosso Filho Jesus!
L.: O nome de Deus paira sobre o coração de todo aquele que sabe encontrar na Eucaristia o sentido da vida e o caminho da "terra sem males".
T.: Maria ajudai-nos a encontrar o cami-nho, a verdade e a vida!
(Entronização do Santíssimo e Procissão dos alimentos)

10. Maria nos leva a rezar

P.: Unidos num só coração e numa só alma, invoquemos a Deus, o Senhor da história, sempre atento às necessidades do povo, prin-cipalmente dos nossos irmãos e irmãs sem vida.

1. Ajudai-nos a acolher sempre mais o poder do Espírito Santo em nossos corações, para que o vosso santo nome seja a força transformadora dos nossos atos, rezemos.

T.: Senhor, mostrai-nos o caminho da "ter-ra sem males"!

2. Ensinai ao vosso povo a encontrar e a viver os mandamentos da vida no serviço solidário aos pobres, humildes e simples, rezemos.
3. Para que a comunhão do pão descido do céu nos leve ao gesto de partilha em mutirão, rezemos.
4. Para que os Meios de Comunicação Social usem o Santo nome de Deus como exigência de defesa do povo oprimido, e que Deus seja honrado no serviço aos irmãos e irmãs, reze-mos.
5. Para que as religiões nunca assumam o nome de Deus, a fim de promover discórdias, agressividades e violências entre pessoas, re-ligiões e povos, rezemos.
6. Para que o nome de Deus seja honrado no respeito e na defesa da terra e na cultura dos nossos irmãos indígenas, promovendo um "basta!" à violência dos interesses econômi-cos, rezemos.

P.: Senhor, ouvi as preces destes vossos filhos e filhas que procuram construir a "terra sem males"! Por vossa bondade, possamos colher os frutos da redenção.
T.: Amém!

11. Bênção do Santíssimo

L.: Diante de Jesus sacramentado, quere-mos renovar o nosso compromisso com as propostas de vida que nos vêm da Lei de Deus.
T.: Que o santo nome de Deus oriente a nossa vida!
L.: Diante de Jesus sacramentado, vamos as-sumir a responsabilidade de construir uma "ter-ra sem males". A terra prometida torne-se re-alidade para todos!
T.: Senhor, ajudai-nos a perceber o cami-nho da vida!
L.: Diante de Jesus sacramentado, queremos assumir o compromisso do mutirão, que vem trazer vida para todos.
T.: Dai-nos, Senhor, o pão nosso de cada dia!

12. Abraço da Paz
13. Consagração a Nossa Senhora
14. Despedida

 

III Día da Novena

POR UMA TERRA SEM MALES, GUARDE O DIA DO SENHOR!

O Dia do Senhor é o dia em que recordamos agradecidos a criação do universo e a Ressurreição de Jesus. É o dia da vida e da convivência, da celebração de ação de graças, do descanso e do encontro fraterno. A nossa qualidade de vida e de convivência humana depende do respeito ao descanso e ao culto de Deus.

1. Introdução
2. Procissão de entrada
3. Saudação

P.: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo
T.: Amém!
P.: Irmãos e Irmãs, voltemos o nosso olhar para o Deus da Vida. Desde toda a eternidade, Ele olha para a humanidade com amor eterno: "quem vos toca, toca a menina dos meus olhos" (Zc 2,8).
T.: Bendito seja Deus, que nos reúne no amor de Jesus e de Maria!

4. Maria nos ensina a guardar o Dia do Senhor

L.: O Domingo é o Dia do Senhor. Ele dá sentido para os dias de semana: trabalhamos para nos sustentar e para experimentar a alegria da vida na convivência com a família, com a comunidade, com os amigos.
T.: O Dia do Senhor é um grito contra a ganância do dinheiro, a idolatria do trabalho e a escravidão do trabalhador!
L.: Vivemos no mundo, nossa tarefa é aqui no mundo, mas nosso coração deve já estar enraizado em Deus e nas coisas do alto. Maria nos reúne no Dia do Senhor para reforçar-mos nossos laços de união com Deus na Sagrada Eucaristia.
T.: Maria, reforçai nossos laços de fraternidade, numa convivência mais amiga!

5. Maria vem ao nosso encontro

L.: Como esposa e mãe de família, Maria assumia os trabalhos da casa. Mas, com seu esposo José e seu Filho Jesus, encontrava tempo para celebrar e alimentar sua fé, para festejar com a comunidade a alegria de ser do povo de Deus.
T.: "Todos os anos, os pais de Jesus iam a Jerusalém para a festa da Páscoa!" (Lc 2,41).
L.: Hoje Maria continua mãe de toda a família humana. Sente especial alegria em ter todos nós, seus filhos, junto de si, convivendo na paz e no amor, celebrando com ela o Deus da vida, principalmente na Eucaristia dominical.
T.: "Este é o dia que o Senhor fez: exultemos e alegremo-nos nele!" (Sl 118,24).
(Entronização da Imagem e Procissão das flores)

6. Maria nos ensina com a Palavra de Deus

L.: Deus sempre sonhou e desejou ardentemente um mundo feliz para a humanidade, uma "terra sem males" para nós, seus filhos e filhas.
T.: "O Senhor Deus plantou um jardim... e pôs ali o homem que havia formado"! (Gn 2,8.9a).
L.: Havia todo tipo de árvores bonitas e de frutos saborosos, nada faltava para os nossos plenos desejos. Mas, pelo pecado, jogamos tudo fora e compramos a infelicidade, preferimos o egoísmo, a ganância, que geram fome e até a morte.
T.: Sim, a recompensa, "a paga do pecado é a morte"! (Rm 6,23).
L.: Mas Maria sempre nos alerta: há a Palavra de Deus, e nessa Palavra encontramos sempre um Deus que não se deixa vencer por nossas infidelidades! Maria nos ensina a descobrir e apalpar vida e esperança na Palavra! Ela nos exorta:
T.: "Fazei tudo o que ele vos disser!" (Jo 2,5b).
L.: Sim, queremos dar este prazer à nossa Mãe Aparecida: com alegria e gratidão vamos acolher a Palavra de Deus! E mais, como um compromisso, vamos abrir o nosso coração para tudo o que Deus hoje nos quer dizer!
T.: Querida Mãe, ensinai-nos a conservar, meditar e viver a Palavra em nossos corações!

7. Anúncio da Palavra de Deus
(Dt 5,12-15 - Mensagem)

8. Súplica a Maria (Ladainha)

P.: Querida Mãe Aparecida, hoje em vossa novena, começamos a celebrar o Dia do Senhor: conosco agradecei o dom de sermos o povo do Deus da Aliança e a ressurreição de vosso Filho que inaugura o caminho de ressurreição para todos nós!
(Ladainha, p. 28)
P.: Mãe Aparecida, que o Dia do Senhor não seja um preceito pesado para nós, mas uma necessidade alegre de celebrar, ao menos num dia, o Deus que é amor e providência em todos os dias da semana, em todos os dias de nossa vida. Pelo mesmo Cristo, Senhor nosso.

9. Maria nos leva a Jesus Eucarístico

L.: O coração de Maria sempre pulsou por seu grande amor, Jesus! E, com esse mesmo coração, ela nos ama, quer para nós o que preencheu seu coração: quer para nós Jesus, quer levar-nos a Jesus.
T.: "Eu sou para o meu Amado, e o meu Amado é para mim!" (Ct 6,3a).
L.: O Dia do Senhor para nós cristãos é oDomingo, dia da celebração da Ressurreição de Jesus. É o "primeiro dia da semana", o primeiro dia da nova criação, que se iniciou no seio de Maria.
T.: "Se Cristo não ressuscitou, é sem fun-damento a nossa fé" (1Cor 15,14).
L.: A celebração eucarística é a fonte e o cume da vida dos cristãos, que se reúnem com alegria fraterna para proclamar a morte e a res-surreição do Senhor.
T.: "Vem, Senhor Jesus!" (Ap 22,20b).
(Entronização do Santíssimo e Procissão dos alimentos)

10. Maria nos leva a rezar

P.: A oração abre-nos o coração para a luz e aos apelos de Deus. Sintoniza nosso coração com os anseios e planos de Deus. Maria nos quer sempre mais sintonizados. Que ela nos inspire as súplicas mais acertadas neste momento!

1. Para que empregos dignos e salários justos dêem a todos viver o Domingo como o Dia do Senhor no repouso tranqüilo, na convivência familiar, na Eucaristia vivida como ação de graças, rezemos!

T.: Que todos possamos viver alegres o Dia do Senhor!

2. Para que o Dia do Senhor seja a confraternização de todos, patrões e empregados, pelo trabalho realizado na semana, em busca da "terra sem males", na distribuição mais justa entre todos dos bens conquistados pelo trabalho de todos, rezemos!
3. Para que o Dia do Senhor seja também o tempo de viver a misericórdia, a solidariedade com nossos irmãos necessitados, que não podemos visitar nos dias de semana, rezemos!
4. Para que Nossa Senhora nos ensine a integrar, no Dia do Senhor, o merecido descanso e o divino direito de alimentar e testemunhar nossa fé por momentos maiores de oração e, sobretudo, pela participação alegre na Eucaristia, rezemos!
5. Para que Nossa Senhora nos ensine a santificar o Dia do Senhor, dando sempre maior espaço em nossa vida de trabalho e de família, para a presença, a luz, o amor de Deus, rezemos!

P.: Por intercessão da vossa e nossa Mãe, a Senhora Aparecida, nós vos pedimos, Jesus, que nos ajudeis a viver o vosso Dia, o Domingo, com o vosso coração: no amor, na alegria, na solidariedade! Vós que sois Deus com o Pai e o Espírito Santo
T.: Amém!

11. Bênção do Santíssimo

L.: Senhor Jesus, quantos apelos de vida, de crescimento vós nos estais fazendo! E nós queremos tudo acolher e tudo transformar em vida.
T.: Dai-nos vossa firmeza e vossa perseverança na busca do bem!
L.: O Domingo será de fato vosso, será Dia do Senhor, se for necessariamente também dia de fraternidade, de paz, de perdão.
T.: Senhor Jesus, fazei o nosso coração se-melhante ao vosso, no amor e na compaixão!
L.: Sem vós, Senhor Jesus, nada podemos fazer de bom, de construtivo na busca da "terra sem males".
T.: Senhor, sede sempre a bênção, a força e a vida de Deus derramadas em nossos corações!

12. Abraço da Paz
13. Consagração a Nossa Senhora
14. Despedida

 

IV. Dia da Novena

POR UMA TERRA SEM MALES, HONRE PAI E MÃE!

A família é um sacramento do ser trinitário de Deus. Ela existe onde se alimenta o amor e a união através da convivência, do respeito mútuo, do diálogo, dos gestos de afeto. Se queremos uma Terra sem Males, a família deve voltar a ser uma prioridade anterior à vida social e profissional, ao lazer externo e aos compromissos sociais.

1. Introdução
2. Procissão de entrada
3. Saudação

P.: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
T.: Amém!
P.: Irmãos e Irmãs, voltemos o nosso olhar para o Deus da Vida. Desde toda a eternidade, Ele olha para a humanidade com amor eterno: "quem vos toca, toca a menina dos meus olhos" (Zc 2,8).
T.: Bendito seja Deus, que nos reúne no amor de Jesus e de Maria!

4. Maria nos ensina a honrar Pai e Mãe

L.: Os pais nos trazem o maior dom que Deus nos oferece: a vida. Assim, da experiência de amor que se faz na família, dependerá o sentido de muitas vidas.
T.: Queremos viver cada vez mais na família a experiência divina do amor!
L.: Se a família não nutre com afeto os seus membros, cria desajustados para a sociedade. O pai e a mãe devem exercer a autoridade fundada no amor para que sejam respeitados e amados por seus filhos.
T.: Maria, ensinai-nos o ideal da vossa família de Nazaré!

5. Maria vem ao nosso encontro

L.: Maria sabe ser mãe, porque vive profundamente a sua vocação de filha de Deus. A sintonia que ela mantém com o divino a faz comprometer-se com os seres humanos.
T.: Que o nosso amor a Deus nos leve ao compromisso com os irmãos!
L.: Maria faz em Nazaré a experiência e vivência de Igreja doméstica. Por isso vai ao encontro de Isabel e de muitos outros que encontra em seu caminho.
T.: Somos a família de Deus reunida na casa de Maria!
(Entronização da Imagem e Procissão das flores)

6. Maria nos ensina com a Palavra de Deus

L.: Maria cuida com zelo de sua família, fazendo dela um lugar de encontro com Deus. Assim, toda família deve ser o espaço da educação para a vida.
T.: Se nos reconhecermos como irmãos não haverá atentado contra a vida!
L.: Em Deus todos têm o mesmo valor e dignidade: sejam grandes ou pequenos. Por isso, a família não é lugar de concorrência, mas sim de solidariedade fraterna.
T.: Na família realizamos o amor de Deus!
L.: Não é raro encontrar, hoje, famílias que deixam de cumprir suas funções básicas de educar. Outras famílias são vítimas de um sistema social injusto, que não cumpre com o seu dever de velar pelas famílias.
T.: Que pais e filhos se empenhem na construção de um futuro melhor!
L.: Para conquistarmos a "terra sem males", temos muito o que aprender com nossos ir-mãos indígenas na educação dos filhos e no respeito com os idosos.
T.: A sociedade justa que queremos começa no seio da família que somos!
L.: Maria estende sua maternidade a nós, levando nos a gerar vínculos de fraternidade entre todos os povos. Assim honramos o Pai do céu.
T.: Maria, ajudai-nos, em família, a honrar o Pai do céu!

7. Anúncio da Palavra de Deus
(Ef 6,1-4 - Mensagem)

8. Súplica a Maria

P.: Maria, filha querida do Pai, o desejo de nosso coração, agora, é vos suplicar, porque vós sois a ternura de Deus para nós, o povo de Deus. Nós vos pedimos principalmente para que os pais sejam honrados nos filhos, e os filhos sejam honrados nos pais. Senhora, rainha do amor.

- Maria, clamamos a vós!

Que Deus seja sempre amado.
Por todos os pais bem amados.
Por todas as nossas famílias.
Que os filhos respeitem seus pais.

- Lá nos céus, rogai a Deus por nós!

L.: A pequenina casa de Nazaré abrigou a pequena Família Sagrada. Maria quer que nossas famílias sejam felizes, que os pais amem os seus filhos, que os filhos amem os seus pais. Eis o sonho de Maria para todos nós. É o sonho de todos os que estão maduros para a vida. Por vosso e nosso sonho, Maria, clamamos a vós.

Senhora, sois mãe e esposa.

- Maria, clamamos a vós!
Sois Mãe de todas as mães.
Por todos os pais trabalhadores.
Por todos os pais desempregados.
Por todas as mães dedicadas.
- Lá no céu, rogai a Deus por nós!

L.: Família evoca afeto e ternura, lugar de paz e de encontro. Amar, participar, acolher, perdoar, entender, humanizar, assumir, auxiliar: eis o que é preciso acontecer numa família.Contudo, no meio das rosas, há também espinhos. Por isso, Maria, clamamos a vós.
Senhora, sois Mãe de ternura.
- Maria, clamamos a vós!
Em todas as nossas famílias
Que reine o perdão e o amor.
E pelas famílias que sofrem.
Por uma família "sem males".
- Lá no céu, rogai a Deus por nós!

L.: Opressão, injustiça e ameaça à família é o saldo negativo que pesa no futuro de nossas famílias e de povos inteiros. A realidade mundial se firma no poder econômico e militar. Pouco se importa se as famílias têm vida digna. A conseqüência é que as famílias ficam desajustadas, filhos desestruturados e povo dominado. Por causa do direito à vida, Maria, clamamos a vós.
Senhora, rainha da Paz.
- Maria, clamamos a vós!
Que cesse a violência explícita.
E pelo direito à vida.
Para que acabe a injustiça.
Por todos os pobres e famintos.
- Lá no céu, rogai a Deus por nós!

P.: Virgem Mãe Aparecida, fortalecei-nos na esperança de uma "terra sem males". Que as famílias, nossos pais e tudo o que devemos honrar nos ajudem a ser um povo livre e feliz. Por Cristo, nosso Senhor.
T.: Amém!

9. Maria nos leva a Jesus Eucarístico

L.: Maria recebeu um chamado único: como filha amada, oferecer ao mundo o que de mais precioso existe: Deus, que também se revela como seu Filho e nosso irmão Jesus.
T.: A fraternidade vivida entre nós gera a vida nova!
L.: A maior herança dos pais a seus filhos é ensiná-los a amar gratuitamente. A família de Nazaré nos passa a herança de que o amor supera toda imperfeição.
T.: A nossa fé em Jesus leva-nos ao encontro dos irmãos!
(Entronização do Santíssimo e Procissão dos alimentos)

10. Maria nos leva a rezar

P.: Através da oração comunitária, fortalecemos os laços de proximidade com Deus e entre nós. Por isso, unidos num só coração e numa só fé, apresentemos a Jesus, mediante Maria, os nossos pedidos:

1. Para que nossas famílias na fé vivam os valores evangélicos, gerem um futuro melhor para a sociedade, e façam do diálogo o caminho de seus relacionamentos, cantemos ao Senhor.
T.: "Abençoa, Senhor, as famílias, amém! Abençoa, Senhor, a minha também!"
2. Para que nossas famílias sejam semente de uma nova sociedade na partilha e no perdão, cantemos ao Senhor.
3. Para que os pais acompanhem seus filhos com amizade e carinho, e jamais substituam o afeto por coisas materiais, cantemos ao Senhor.
4. Para que as famílias brasileiras aprendam da tradição indígena a responsabilidade coletiva por todos os seus membros, sobretudo pelos anciãos e crianças, cantemos ao Senhor.
5. Para que as famílias que enfrentam dificuldades não desanimem diante dos obstáculos, e encontrem soluções na ajuda mútua, cantemos ao Senhor.

P.: Isto é o que vos pedimos, ó Jesus, por intermédio de vossa e nossa Mãe Maria, que sempre nos acompanha pelas estradas da vida. A vós que sois Deus com o Pai e o Espírito Santo.
T.: Amém!

11. Bênção do Santíssimo

L.: Senhor, de vós aprendemos que o amor e cuidado pela família começam quando colocamos o Pai em primeiro lugar em nossas vidas. Dele brotam o apelo e o compromisso de viver a verdadeira família.
T.: "Não sabeis que devo ocupar-me das coisas de meu Pai?" (Lc 2,49).
L.: Jesus, assumistes a natureza humana, e nela todos estamos incluídos. Vós nos trouxestes a redenção e nos confiastes a missão de levá-la a todos os recantos da terra.
T.: "Aquele que fizer a vontade de meu Pai que está nos Céus, esse é meu irmão, irmã e mãe!" (Mc 3,35).

12. Abraço da Paz

13. Consagração a Nossa Senhora

14. Despedida

 

V. Dia da Novena

POR UMA TERRA SEM MALES, NÃO MATE!

A vida é um dom sagrado, que brota de Deus, chega ao ser humano e se irradia por toda a natureza. O princípio de respeito incondicional à sacralidade da vida, em todos os seus momentos e manifestações, deve penetrar profundamente nossas culturas, ainda tão agressivas ao direito inalienável à vida.

1. Introdução
2. Procissão de entrada
3. Saudação

P.: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
T.: Amém!
P.: Irmãos e Irmãs, voltemos o nosso olhar para o Deus da Vida. Desde toda a eternidade, Ele olha para a humanidade com amor eterno: "quem vos toca, toca a menina dos meus olhos" (Zc 2,8).
T.: Bendito seja Deus, que nos reúne no amor de Jesus e Maria!

4. Maria nos ensina a não pecar contra a vida

L.: Maria acolheu com alegria em seu seio a Vida do Verbo eterno, que se encarnou para nos trazer uma nova vida. Toda vida tem sua origem em Deus, é preciso acolhê-la com respeito, jamais ameaçá-la.
T.: Por uma "terra sem males", não matarei jamais!
L.: Maria foge para o Egito para proteger a vida de seu Filho, ameaçada de morte por Herodes. Nenhuma criatura humana, nem mesmo sendo autoridade, jamais tem direito de tirar a vida.
T.: Por uma "terra sem males", não matarás jamais!
L.: Maria viu seu Filho ser assassinado. Certamente, pelo amor que tem por toda a vida, não clamou por vingança, mas perdoou os assassinos. Só o perdão quebra o círculo da violência, que sacrifica tantas vidas.
T.: Por uma "terra sem males", não mataremos jamais!
L.: Maria viu seu Filho ressuscitar e partilhar conosco a Vida nova, que ninguém mais poderá matar. Ela nos ajuda a promover o direito à vida e o direito de viver, aqui na terra e lá no céu.
T.: Por uma "terra sem males", defendere-mos sempre a sacralidade da vida!

5. Maria vem ao nosso encontro

L.: Deus escolheu Maria para mãe do seu Verbo. Ela foi o caminho da vida humana para Deus. Acolheu a vida misteriosa que brotava em seu seio como uma vocação e uma missão, que comprometeram toda a sua existência.O compromisso com a vida é o mais fundamental de todos!
T.: A vida é um Dom sagrado, que vem de Deus!
L.: José, esposo de Maria, também foi convocado por Deus para acolher e proteger esta vida. Assim, a vida humana, para brotar com naturalidade, precisa dos braços da mãe e do pai, ainda que sejam adotivos.
T.: Quem acolhe uma vida humana, acolhe o próprio Deus!
L.: Maria olha para a cultura da violência e da morte, que sacrifica a vida humana como se fosse um artigo descartável. Ela vem ao nosso encontro para conosco converter essa situação tão ameaçadora quanto dolorosa.
T.: Vinde, Maria, ajudai-nos a defender a vida de toda a natureza e a sacralidade da vida humana!
(Entronização da Imagem e Procissão das flores)

6. Maria nos ensina a Palavra de Deus

L.: A descendência de Caim continua odiando e assassinando os próprios irmãos. Os homicídios devem provocar em todo cristão uma atitude de indignação, porém jamais de vingança.
T.: Deus condenou o gesto assassino de Caim, sem contudo tirar-lhe a vida!
L.: A história do mundo tem sido uma seqüência de guerras homicidas, e a rotina dos nossos dias banalizou os gestos de vio-lência, que alimentam as imagens da televisão e as fotos dos jornais. Tudo isso começou a partir do momento em que alguém se julgou no direito de tirar a vida do outro.
T.: Só Deus é o Senhor da vida, desde o alvorecer até o entardecer da vida humana!
L.: Jesus preferiu sofrer a violência e a morte, a odiar e ameaçar a vida de alguém. Sua mensagem proclama que as religiões e todas as instituições humanas só têm validade, diante de Deus, quando promovem o amor, que faz viver, e não o ódio, que mata.
T.: "Eu vim para que todos tenham vida, que todos tenham vida plenamente!"

7. Anúncio da Palavra de Deus (1Jo 3,11-15 - Mensagem)

8. Súplica a Maria (Salve, Rainha)

P.: Senhora e Mãe Aparecida, confiamos em vossa intercessão materna. Em nosso vale de lágrimas, provocadas pelo desrespeito ao nome de Deus, pela violência à vida humana, pela ganância e pela difamação do próximo, nós vos suplicamos que nos mostreis o fruto bendito do vosso ventre, para que seja o nosso Salvador.
L.: Diante da pequenina imagem de Nossa Senhora Aparecida, cantemos a Salve, Rainha, na certeza de que a Mãe de misericórdia assumirá como seus filhos a todos nós, que somos filhos de Eva.
Salve Rainha, Mãe de misericórdia.
- Virgem das virgens, rogai a Deus por nós!
Vida, doçura, esperança nossa, salve.
A vós bradamos os degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos, gemendo e chorando.
Neste vale de lágrimas, neste vale de lágrimas.
Eia, pois, advogada nossa.
Esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei.
E depois deste desterro mostrai-nos Jesus.
Bendito fruto do vosso ventre.
Ó clemente, ó piedosa, ó doce Virgem Ma-ria!
L.: Que Maria Santíssima nos leve a observar o quinto mandamento, para que a vida humana seja para todos nós um Dom sagra-do, desde o primeiro até o último instante. Que ela nos ajude a defendê-la sempre e a superar qualquer anseio de vingança mor-tal.
Fazei que a vida humana seja sempre respeitada.
- Virgem das virgens, rogai a Deus por nós!
Que cesse a violência na família e nos lares.
Que a justiça e o perdão desfaçam as vinganças.
Que os povos não se matem nem sufoquem uns aos outros.
Libertai tantas vidas das drogas e bebida.
P.: Senhora e Mãe Aparecida, com a vossa intercessão nós construiremos "uma terra sem males", um Brasil sem mortes pela violência da miséria e da fome, através de um mutirão de amor e de solidariedade. Dai-nos, Mãe Santíssima, superar o desterro, já aqui neste mundo, para sermos todos cidadãos da terra e do céu. É o que pedimos que supliqueis ao vosso divino Filho, ele que vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém.

9. Maria nos leva a Jesus Eucarístico

L.: Para viver é preciso alimentar-se de pão e de amor. Maria muitas vezes amassou o pão com carinho para alimentar a vida de Jesus.
T.: E Jesus se fez Pão para alimentar a vida de todos nós!
L.: O alimento partilhado com carinho e respeito é o primeiro gesto para superar a miséria e a fome, e alimentar a vida do nosso povo.
T.: "Bastariam dois pães e dois peixes, e o milagre do amor, pra acabar com tanta fome e acabar com tanta dor!" (bis)
L.: Jesus repete o seu gesto de partilha em cada Eucaristia, dando-nos a força para que façamos o mesmo.
T.: "Tomai, comei, é meu corpo e meu sangue que dou! Vivei no amor! Eu vou preparar a ceia na casa do Pai!"
(Entronização do Santíssimo e Procissão dos alimentos)

10. Maria nos leva a rezar

P.: Irmãos e Irmãs, diante do Pão consagrado, sacramento da presença de Jesus Ressuscitado, aquele que venceu a maldade e a morte, para nos garantir a vida que dura para sempre, façamos confiantes as nossas preces.

1. Por todas as famílias, para que superem toda atitude de agressividade doméstica e respeitem a vida uns dos outros como um Dom divino, rezemos ao Senhor.

T.: Senhor, fazei-nos promover sempre a vida!

2. Por todos os que exercem autoridade, para que os projetos políticos e econômicos tenham como critério último a reservação da vida da natureza e a promoção da vida humana, em seus direitos básicos de sobrevivência, desde a concepção até a morte, rezemos ao Senhor.
3. Para que, através da fé e em comunidade, assumamos a defesa da vida contra toda violência e, ao mesmo tempo, superemos a tentação de apelar para a pena de morte como solução contra a violência, rezemos ao Senhor.
4. Para que nós, cristãos, jamais nos coloquemos a favor do aborto, e saibamos reagir com indignação contra a manipulação científica da vida humana, em qualquer dos seus estágios, rezemos ao Senhor.
5. Que o Espírito Santo faça com que o quinto mandamento se enraíze em nossos corações, para que haja a esperança de novas gerações sem violência urbana e sem guerras fratricidas, num mundo onde o direito de viver e de conviver seja anterior ao direito de enriquecer, rezemos ao Senhor.

P.: Senhor Jesus Cristo, aceitai essas preces, mas vós sabeis melhor do que nós aquilo de que mais necessitamos. Vinde ao encontro de nossa fraqueza e alimentai nossa sede de viver e nosso compromisso de defender a vida. Vós que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo.
T.: Amém!

11. Bênção do Santíssimo

L.: Senhor, encerrastes neste pão toda força de uma vida nova, para entrar em comunhão conosco e transformar-nos em bênção para todos.
T.: Abençoai-nos com a bênção do amor à vida, tão preciosa que será ressuscitada por vós.
L.: Que vossa bênção se estenda a toda a natureza, para que ela seja respeitada pelo ser humano como fonte de vida e jamais seja depredada pela ganância do lucro.
T.: Abençoai-nos e abençoai a todas as vossas criaturas: a água, a terra, o ar, para que vos louvem através da vida que produzem.

12. Abraço da Paz

13. Consagração a Nossa Senhora

14. Despedida

 

VI. Dia da Novena

POR UMA TERRA SEM MALES, NÃO PEQUE CONTRA A SEXUALIDADE!

A sexualidade é um Dom de Deus que precisa ser revalorizada, re-humanizada, vivenciada com ternura e respeitada na família, em todas as idades e em todos os ambientes, na iniciação juvenil e nos Meios de Comunicação. Tem de brotar do amor e ser conjugada com a responsabilidade pessoal e social. Não podemos permitir que seja reduzida a objeto de mercado nem que dependa apenas de um preservativo.

1. Introdução

2. Procissão de entrada

3. Saudação

P.: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
T.: Amém!
P.: Irmãos e Irmãs, voltemos o nosso olhar para o Deus da Vida. Desde toda a eternidade, Ele olha para a humanidade com amor eterno: "quem vos toca, toca a menina dos meus olhos" (Zc 2,8).
T.: Bendito seja Deus, que nos reúne no amor de Jesus e de Maria!

4. Maria nos ensina a não pecar contra a sexualidade

L.: Deus nos chamou a uma vocação santa: a de sermos verdadeiramente seus filhos e filhas, e assim nos deu a responsabilidade do amor e da comunhão de vida.
T.: Deus nos criou à sua imagem e semelhança!
L.: A sexualidade que Deus nos deu, Ele quer que a vivamos na fidelidade e na afetividade. Deve ser um modo de nós vivermos o mandamento do amor e da comunhão.
T.: Maria é quem nos ensina a viver a fidelidade e a vida de comunhão!

5. Maria vem ao nosso encontro

L.: Enviando seu Filho para nascer de uma Mulher, Deus santificou a sexualidade de Maria e a de toda a humanidade. Deus quis alimentar-se do carinho e da ternura de uma Mãe, de um lar. E Maria aceitou plenamente o plano de Deus. Colocou seu corpo e sua afetividade a serviço de Deus, e assim o Filho de Deus se fez homem e veio viver a nossa vida.
T.: Que as infidelidades não estraguem a vida de amor e de comunhão entre o homem e a mulher!
L.: Diante de nossas fragilidades e da permissividade social na vivência humana da sexualidade, o cristão é chamado a viver e a dar uma resposta que brote da Palavra de Deus: "vosso corpo é templo do Espírito Santo e ele quer nele habitar" (1Cor 6,19).
T.: Com a graça de Deus realizaremos de modo sereno o ideal do amor total!
L.: É Maria, a Virgem pura e santa, quem nos ensina a fazer da vida doação e do nosso corpo morada de Deus.
(Entronização da Imagem e Procissão das flores)

6. Maria nos ensina com a Palavra de Deus

L.: Ninguém pode negar que em Maria habitou a Palavra de Deus. Nela se encontram todas as virtudes. Sua sexualidade manifesta-se na ternura e na prontidão alegre em amar a Deus e a todos nós, seus filhos.
T.: Por isso, ela é testemunha da fidelidade e da ternura de Deus!
L.: Deus nos fez participar de sua condição divina. Ele nos escolheu para sermos seus amigos. O sonho de Deus é que façamos da vida doação e oblação generosas. Isso só é possível quando nos unimos a Deus, fonte de toda a vida.
T.: Quem se une ao Senhor, torna-se um com Ele. Torna-se amigo dele!
L.: Quem é de Deus não se deixa conduzir pelas paixões e leviandades. Quem é de Deus deixa-se conduzir pelo amor-comunhão, pelo amor-doação.
T.: Quem é de Deus é feliz!
L.: Sem Ele ninguém pode fazer coisa alguma. Sem Ele ninguém se sustenta na sua vocação de filhos e filhas de Deus. Longe de Deus, quem nos domina são nossas paixões desenfreadas.
T.: É Deus quem nos sustenta em seu amor!
L.: Fomos comprados por um alto preço. Fomos resgatados pela morte do Cristo.Por isso, nossa vida há de ser sinal deste amor de Deus: na vida de comunhão, de fidelidade e na vivência da dignidade humana.
T.: Que Deus nos conserve na dignidade de seus filhos e filhas!

7. Anúncio da Palavra de Deus (1Cor 6,15-20 - Mensagem)

8. Súplica a Maria (Ladainha)

P.: Querida Mãe Aparecida, a sexualidade, que é santa em todos nós porque criada por Deus, em vós tornou-se ainda mais santa ao tornar-se ninho para a vida de Deus que assim quis tornar-se vida humana em vós. Ajudai-nos, ó Mãe, a santificar o que já recebemos santo das mãos de Deus, a nossa sexualidade!
P.: Mãe Aparecida, por que a sexualidade, tão santa nas mãos criadoras de Deus, em nós pode tornar-se tão depravada, não mais fonte de vida, de alegria, mas até de exploração e sofrimento? Dai-nos, ó Mãe, redescobrir a sexualidade como fonte de vida, de realização, de paz! Por Cristo, nosso Senhor.

9. Maria nos leva a Jesus Eucarístico

L.: Deus fez em Maria o tabernáculo mais puro do mundo. Nela morou o Filho de Deus. Maria é a pureza santa, santuário oculto e divino do Redentor.
T.: Ajudai-nos, Maria, a viver dignamente nossa sexualidade!
L.: Maria acolheu a fonte eterna do amor, Jesus. Aos olhos de Deus, ela é a mais bela das criaturas. Diante de nós, ela é a mais santa porque nos deu o Redentor.
T.: De Maria brota o Salvador, fonte de eterno amor!
L.: Maria nos apresenta o seu Filho, e nele nos oferece a vida e o amor divinos. Nessa força que Jesus nos comunica, podemos viver nossa sexualidade como fonte de ternura, de amor, de realização humana.
(Entronização do Santíssimo e Procissão dos alimentos)

10. Maria nos leva a rezar

P.: Jesus, neste instante tão sublime de nossa fé, diante de vós e junto de vossa Santíssima Mãe, elevamos as nossas preces ao Pai. Abri o nosso coração para que ele seja pleno de vossa verdade.

1. Para que todos nós sejamos dignos da vocação de sermos filhos e filhas de Deus, clamemos ao Senhor.

T.: Senhor, fazei-nos viver no vosso amor!

2. Para que a fecundidade do bem, da justiça e da solidariedade seja sempre a nossa meta de cristãos, clamemos ao Senhor.
3. Para que cada ser humano viva com dignidade, amor e respeito a sexualidade que Deus lhe concedeu, clamemos ao Senhor.
4. Para que a sexualidade, principalmente a da mulher, não seja objeto de exploração e de comércio, clamemos ao Senhor.
5. Por todos aqueles que fazem da sexualidade uma fonte de renda, para que se convertam e vivam com dignidade, clamemos ao Senhor.

P.: Senhor, teríamos ainda muitos outros pedidos diante das muitas necessidades nossas. Mas nos recomendamos todos à vossa bondade, para que sejamos sinceramente o vosso povo, junto de Maria, a Mãe de vosso Filho Jesus Cristo.
T.: Amém!

11. Bênção do Santíssimo

L.: O Filho de Deus vai agora nos abençoar.
T.: Ele é a maior bênção de Deus para nós!
L.: Que a sua bênção plenifique o nosso coração.
T.: Que o mundo seja plenificado no seu amor!
L.: Que os sofredores jamais percam a esperança.
T.: Que aconteça e permaneça a "terra sem males". Amém!

12. Abraço da Paz

13. Consagração a Nossa Senhora

14. Despedida

 

VII. Dia da Novena

POR UMA TERRA SEM MALES, NÃO ROUBE!

O roubo é sempre uma injustiça contra um direito legítimo, que é aquele que possibilita possuir os bens basicamente necessários para a sobrevivência digna de cada ser humano. É um direito anterior às leis e às tradições culturais. O roubo é um pecado que vai desde o furto e o assalto até aos "direitos" de posse, legalizados por leis injustas, que protegem a concentração de rendas, de terras etc. contra o direito natural de viver e de conviver dignamente.

1. Introdução

2. Procissão de entrada

3. Saudação

P.: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
T.: Amém!
P.: Irmãos e Irmãs, voltemos o nosso olhar para o Deus da Vida. Desde toda a eternidade, Ele olha para a humanidade com amor eterno: "quem vos toca, toca a menina dos meus olhos" (Zc 2,8).
T.: Bendito seja Deus, que nos reúne no amor de Jesus e de Maria!

4. Maria nos ensina a não roubar

L.: Toda sociedade marcada pelo desrespeito ao ser humano gera situações de extrema miséria e pobreza. Por que em nosso meio ficou tão comum lesar o irmão? E Maria reza mostrando o poder de Deus: "manifestou o poder de seu braço e dispersou os soberbos..."
T.: "Derrubou os poderosos de seus tronos e elevou os humildes!"
L.:
A vida é o maior presente que recebemos de Deus. Quando a vida é roubada por tantos meios e modos, aí está a maior violência presente no meio de nós. E Maria, carregando em seu seio a vida para todos, mais uma vez nos ensina:
T.: Deus sacia de bens os famintos e despede os ricos sem nada!

5. Maria vem ao nosso encontro

L.: Maria nos revela a salvação que é Jesus. Nada mais ocupou lugar em sua vida. A ambição do ter faz muitos hoje roubarem de forma violenta, defraudando o irmão até por meio de leis injustas. Rouba-se sem escrúpulo algum.
T.: Quando, Senhor, a justiça terá o seu lugar?
L.: Maria vem ao nosso encontro para mostrar que é possível, sim, construir uma história decente, respeitando a todos. A história que tem no centro o seu Filho Jesus Cristo, o Senhor de todos os tempos.
T.: Com Maria queremos construir uma história digna dos filhos de Deus.
(Entronização da Imagem e Procissão das flores)

6. Maria nos ensina com a Palavra de Deus

L.: Maria é a mulher atenta à Palavra de Deus, porque descobriu o sentido da vida ao fazer a vontade de Deus. E na Palavra encontramos não só a vontade de Deus, mas o sentido verdadeiro da vida.
T.: "Fazer ressoar a Palavra. Fazer ressoar a Palavra. Fazer ressoar a Palavra de Deus. Fazer ressoar a Palavra!"
L.: E quando o direito à vida é desrespeitado, a Palavra vem para iluminar e mostrar que chega de injustiça porque chegou o momento de Deus. Nada pode justificar o tirar a vida de nossos irmãos e irmãs, porque a vida vem de Deus. Nada pode justificar a concentração da terra que a muitos pertence, nas mãos de poucos.
T.: "Fazer ressoar a Palavra. Fazer ressoar a Palavra. Fazer ressoar a Palavra de Deus. Fazer ressoar a Palavra!"
L.: Maria, através do seu Filho Jesus, Palavra encarnada, nos mostra que a vida não pode ser violentada, nem falsos poderes podem roubá-la.
T.: "Fazer ressoar a Palavra. Fazer ressoar a Palavra. Fazer ressoar a Palavra de Deus. Fazer ressoar a Palavra!"
L.: E quando a corrupção é justificada em nome de leis e pessoas para tirar o pão nosso de cada dia, a Palavra de Deus vem iluminar e mostrar que não há roubo maior que tirar o direito de cada um ganhar com dignidade o pão nosso de cada dia.
T.: "Fazer ressoar a Palavra. Fazer ressoar a Palavra. Fazer ressoar a Palavra de Deus. Fazer ressoar a Palavra!"
L.: E quando todo tipo de roubo vai gerando uma sociedade de miséria e pobreza, a Palavra de Deus vem mostrar que o Reino de Deus é para todos, e que o alicerce do Reino é a partilha.
T.: "Fazer ressoar a Palavra. Fazer ressoar a Palavra. Fazer ressoar a Palavra de Deus. Fazer ressoar a Palavra!"

7. Anúncio da Palavra de Deus (Am 8,4-8 - Mensagem)

8. Súplica a Maria

P.: Mãe Aparecida, vivemos em nosso país situações que ferem e envergonham os que honram a condição de filhos de Deus e de cidadãos da pátria. Humildemente, hoje, queremos vos suplicar pelas necessidades do povo de quem sois Mãe e vos clama em suas necessidades.
L.: Deus fez o mundo para que todos vivessem nele com dignidade. Todos têm direito de viver vida digna de filhos e filhas de Deus. Nossa sociedade marcada pela ganância e pelo egoísmo gera uma multidão de pobres famintos e sem direito à vida. Pelas situações adversas ao Reino de Deus, Maria, clamamos a vós.
Por todos os pobres da terra.
- Maria, clamamos a vós!
E para que haja partilha.
Por todos que amam o irmão.
Por todos que clamam a vida.
E por uma "terra sem males".
- Lá no céu, rogai a Deus por nós!
L.: Quando há partilha do pão não há irmão com fome. Quando há partilha de amor a vida torna-se mais bonita. Por isso, quem rouba o irmão, rouba-lhe o direito de viver. Se em nosso país a maioria vive da menor parte da sua renda, isto é sinal claro da ganância e do egoísmo. Entre a taça de cristal e a latinha jogada na rua está o abismo entre os ricos poderosos e os pobres. Por esta nossa realidade, Maria, clamamos a vós.
Por nossas famílias que sofrem.
- Maria, clamamos a vós!
Por quem não reparte os seus bens.
Por quem sobrevive do lixo.
Por quem não se faz solidário.
Por uma "terra sem males".
- Lá no céu, rogai a Deus por nós!
L.: A política não está separada da fé, porque suas decisões incidem sobre nossas famílias. Elas trazem conseqüências funestas ou não. Se há políticos que trabalham com dignidade em suas funções, sabemos que há aqueles que buscam proveito próprio e se associam à corrupção. Para que a dignidade e honra sejam prioridades, Maria, clamamos a vós.
Que haja justiça entre nós.
- Maria, clamamos a vós!
Por todos que amam os pobres.
Por quem busca o bem e a paz.
E para que acabe a fome.
E por uma "terra sem males".
- Lá no céu, rogai a Deus por nós!
L.: Ninguém tem o direito de se apossar daquilo que é do outro. Ninguém pode tirar do outro o seu direito de viver. Ninguém pode reter para si a maior parte dos bens do país. Se há o roubo explícito, também há o roubo feito pelas falcatruas e corrupção. Para que aconteça a ética da vida e o direito de cidadania, Maria, clamamos a vós.
Que haja partilha dos bens.
- Maria, clamamos a vós!
Por um mutirão pela paz.
Por um mutirão contra a fome.
Que seja banida a injustiça.
E por uma "terra sem males".
- Lá no céu, rogai a Deus por nós!
P.: Maria, Virgem Aparecida, fortalecei-nos na esperança de uma "terra sem males", de um povo latino-americano feliz, sem guerra, sem violência e sem ódio. Ajudai-nos a construir uma pátria de irmãos. Por Cristo, nosso Senhor.
T.: Amém!

9. Maria nos leva a Jesus Eucarístico

L.: Através da vida de Maria podemos perceber o valor da vida. Ao gerar o Filho Jesus, gerou para o mundo a vida em abundância para todos. A presença de Jesus Eucarístico é alimento. Esta vida ninguém pode roubar.
T.: Em Jesus queremos encontrar a vida plena e ser vida para nossos irmãos e irmãs!
L.: E como é bom hoje formarmos a grande família de Deus, na casa da Padroeira do Brasil, para recebermos Jesus, que vem acolher todas as nossas necessidades, principalmente de nossos irmãos indígenas, tolhidos no direito maior da vida.
T.: Vem, Senhor Jesus, a vida queremos encontrar.
(Entronização do Santíssimo e Procissão dos alimentos)

10. Maria nos leva a rezar

P.: Imploremos a Cristo Eucarístico, presente no meio de nós, por todas as necessidades dos nossos irmãos e irmãs que sofrem as conseqüências de toda violência social, principalmente do roubo disfarçado em estrutura legalizada.
1. Nós vos pedimos, Senhor, pela Igreja, para que, a exemplo da comunidade primitiva, viva com alegria a partilha e a comunhão, gerando vida para todos, rezemos.

T.: Enviai, Senhor, o vosso Espírito e renovai a face da terra!

2. Nós vos pedimos, Senhor, pelos nossos irmãos e irmãs indígenas que são lesados no direito maior que é a vida, quando suas terras são violentadas e desrespeitadas, rezemos.
3. Nós vos pedimos, Senhor, pelos que governam o nosso povo para que estejam atentos ao direito da vida de todos e se preocupem sempre com o necessário para que todos possam ter vida, rezemos.
4. Nós vos pedimos, Senhor, pelos que sofrem por causa de roubos escandalosos que afrontam o nosso dia-a-dia. Pedimos justiça e mais justiça, rezemos.
5. Nós vos pedimos, Senhor, pelos que se afastaram do caminho da justiça. Concedei-lhes a graça do vosso perdão, para recomeçarem com alegria uma vida nova, rezemos.

P.: Concedei, ó Deus, ao vosso povo, que é lesado e desfalece na miséria e em extrema pobreza, novo alento no seu Filho Jesus Cristo, Senhor nosso.
T.: Amém!

11. Bênção do Santíssimo

L.: Senhor, é em vós que queremos encontrar a vida e os meios necessários para que todos possam ter a vida em abundância, sem roubo e violência.
T.: Abençoe, Jesus, os que são lesados em seus direitos fundamentais!
L.: Senhor, é em vós que queremos encontrar e aprender a vida de partilha com nossos ir-mãos e irmãos indígenas.
T.: Abençoe, Jesus, os que são lesados em seus direitos fundamentais!

12. Abraço da Paz

13. Consagração a Nossa Senhora

14. Despedida

 

VIII. Dia da Novena

POR UMA TERRA SEM MALES, NÃO DIFAME NINGUÉM!

A difamação é uma injustiça contra o respeito e a estima a que toda pessoa tem direito. Baseia-se na mentira, no falso testemunho, na desqualificação, e produz desprezo, discriminação, preconceito etc. Por isso, provoca tanta dor e tanta discórdia na convivência social.

1. Introdução

2. Procissão de entrada

3. Saudação

P.: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
T.: Amém!
P.: Irmãos e Irmãs, voltemos o nosso olhar para o Deus da Vida. Desde toda a eternidade, Ele olha para a humanidade com amor eterno: "quem vos toca, toca a menina dos meus olhos" (Zc 2,8).
T.: Bendito seja Deus, que nos reúne no amor de Jesus e de Maria!

4. Maria nos ensina a não difamar ninguém

L.: Jesus veio semear a luz da verdade num mundo que transformara em lei a mentira, a falsidade, a busca desenfreada dos próprios interesses.
T.: "Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não caminha nas trevas, mas terá a luz da vida!" (Jo 8,12).
L.: Maria viu o seu Filho querido sendo condenado e apagado da vida, na maior inocência.Pilatos reconhece: "não encontro neste homem nenhum crime" (Lc 23,4b). Seu crime era ser verdadeiro, acreditar na vida, na "terra sem males"; "Eu nasci e vim ao mundo para isto: para dar testemunho da verdade".
T.: "Todo aquele que é da verdade, escuta a minha voz!" (Jo 18,37b).
L.: Maria, emprestai-nos vosso coração e vossa fé para suplicar.
T.: "Mostrai-me, Senhor, o vosso caminho, para eu caminhar na vossa verdade!" (Sl 86,11a).

5. Maria vem ao nosso encontro

L.: Maria é Mãe e seu olhar vai além do exterior e vê o coração de seus filhos e filhas, e quer transparência, nada de hipocrisia, de falsidade, porque:
T.: "De vossa boca não saia nenhuma palavra maliciosa, mas somente palavras boas, capazes de edificar e de fazer bem" (Ef 4,29).
L.: Maria não é só ela mesma. De sua vida faz parte inseparável o seu Filho, o seu Deus. Aonde chega Maria, vem com ela o seu coração: vem Jesus! Vem Deus!
T.: Querida Mãe, convosco queremos acolher o que de melhor nos trazeis: o vosso e nosso Deus!
(Entronização da Imagem e Procissão das flores)

6. Maria nos ensina com a Palavra de Deus

L.: A palavra existe para criar laços de amizade e pacífica convivência. No entanto, uma mentira, uma calúnia ou um falso testemunho podem roubar a paz e o gosto de viver das pessoas. Pode até mesmo levá-las à morte.
T.: "Palavra não foi feita para dividir ninguém, palavra é a ponte onde o amor vai e vem!"
L.: Maria ama profundamente a Palavra de Deus, contrária a toda hipocrisia. Ela sabe que "a palavra de Deus é viva, eficaz e mais pene-trante que qualquer espada de dois gumes. Ela julga os pensamentos e as intenções do coração.
T.: Não há criatura que possa ocultar-se diante da Palavra!" (Hb 4,12-13a).
L.: Maria nos aponta o grande tesouro que é a Palavra de Deus: nossos olhos e ouvidos são ninho muito pequeno para ela. A Palavra se sente bem mesmo só em nosso coração.
T.: "Maria guardava todas as coisas que ouvia, meditando-as no coração"! (Lc 2,19).

7. Anúncio da Palavra de Deus
(At 6,8-14 - Mensagem)

8. Súplica a Maria (Salve, Rainha)

P.: Senhora e Mãe Aparecida, confiamos em vossa intercessão materna. Em nosso vale de lágrimas, provocadas pelo desrespeito ao nome de Deus, pela violência à vida humana, pela ganância e pela difamação do próximo, nós vos suplicamos que nos mostreis o fruto bendito do vosso ventre, para que seja o nosso Salvador.
L.: Diante da pequenina imagem de Nossa Senhora Aparecida, cantemos a Salve, Rainha, na certeza de que a Mãe de misericórdia as-sumirá como seus filhos a todos nós, que somos filhos de Eva.
Salve Rainha, Mãe de misericórdia.
- Virgem das virgens, rogai a Deus por nós!
Vida, doçura, esperança nossa, salve.
A vós bradamos os degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos, gemendo e chorando
Neste vale de lágrimas, neste vale de lágrimas.
Eia, pois, advogada nossa,
Esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei.
E depois deste desterro mostrai-nos Jesus,
Bendito fruto do vosso ventre.
Ó clemente, ó piedosa, ó doce Virgem Maria!
L.: Que Maria Santíssima nos leve a observar o oitavo mandamento, para que, evitando toda mentira, difamação e preconceito, tenhamos respeito e sinceridade uns com os outros e cuidemos com carinho da estima mútua.
Fazei-nos testemunhas da verdade e do bem.
- Virgem das virgens, rogai a Deus por nós!
Dai-nos muita estima pelo nome dos irmãos.
Que não haja preconceitos que excluem tanta gente.
Que a mentira e a maldade sejam sempre re-jeitadas.
Que a verdade sempre reine entre todos vossos filhos.
P.: Senhora e Mãe Aparecida, com a vossa intercessão nós construiremos "uma terra sem males", um Brasil sem miséria e sem fome, onde todos sintam o respeito pelo próprio nome e pelo nome dos outros, através de um mutirão de amor e de solidariedade.Dai-nos, Mãe Santíssima, superar o desterro, já aqui neste mundo, para sermos todos cidadãos da terra e do céu. É o que pedimos que supliqueis ao vosso divino Filho, ele que vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém.

9. Maria nos leva a Jesus Eucarístico

L.: A Eucaristia é a cristalização de um Amor que nos amou não só na transparência e sinceridade de suas palavras, "mas com ações e de verdade!" (1Jo 3,18).
T.: "Ninguém tem amor mais do que aquele que dá a vida por seus amigos!" (Jo 15,13).
L.: A maldade, a falsidade não compensam, deixam vazio o nosso coração criado por Deus para a luz e a verdade. Maria anseia ver nosso coração livre no amor, no serviço, como seu coração de Mãe, como o coração eucarístico de seu Filho.
T.: "Se permanecerdes em minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos!" (Jo 8,31b-32).
L.: Sede e fome da verdade, decisão de nos fazermos luz a expulsar a mentira, a falsidade, a hipocrisia, eis a melhor acolhida para Jesus Eucarístico.
T.: Vinde, Jesus, nossa luz, nossa verdade!
(Entronização do Santíssimo e Procissão dos alimentos)

10. Maria nos leva a rezar

P.: Ninguém é mais livre do que Deus porque nele não há mentira nem falsidade, porque ele vive na verdade e na luz do amor, da so-lidariedade. Confiantes, supliquemo-lhe sua verdade que nos faz livres!

1. Para que em nosso mundo de tanta maldade e hipocrisia, tantas vezes dominado pela ambição, sejamos fermento da verdade, da solidariedade, rezemos!

T.: Senhor, que a vossa verdade nos liber-te!

2. Para que seguindo Jesus, tenhamos vindo ao mundo ferido pela mentira, para dar testemunho da verdade, rezemos!
3. Para que Maria nos ensine sua transparência diante de Deus, vivida na sinceridade de nosso amor e serviço aos irmãos, rezemos!
4. Para que, recusando toda discriminação, lutemos pelo respeito divino à dignidade de toda pessoa humana, na busca da terra sem males", rezemos!
5. Para que nosso amor apaixonado pela verdade, leve-nos a sentir felicidade quando nos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo mal contra nós por causa de Jesus, rezemos!

P.: Senhor Jesus, vós que sois a luz, arrancai-nos sempre mais do poder das trevas, da mentira, e fazei de nós filhos e filhas da luz, do verdadeiro amor, na solidariedade. Vós, que sois Deus com o Pai e o Espírito Santo.
T.: Amém!

11. Bênção do Santíssimo

L.: A Eucaristia, esse gesto de supremo e irrestrito amor de Jesus, é a coerência de sua vida com o que ele propôs aos seus seguidores em suas palavras, parábolas e discursos.
T.: "Quem é bom tira coisas boas do tesouro do seu bom coração!" (Lc 6,45a).
L.: Senhor Jesus, nada vos incomodava tanto nas pessoas como a falsidade, a hipocrisia!
T.: "Quem vive sem culpa, age com justiça, fala a verdade, pode morar junto de vós!" (Sl 15,1b-2).
L.: Maria, levai-nos ao vosso Filho! Despertai em nós a fome da verdade e do amor!
T.: Vinde a nós, Senhor Jesus, pois sem vós não há luz nem verdade!

12. Abraço da Paz

13. Consagração a Nossa Senhora

14. Despedida

 

IX. Dia da Novena

POR UMA TERRA SEM MALES, NÃO COBICE AS COISAS ALHEIAS!

A cobiça é a causa da ganância, que provoca tanta injustiça social, tanta violência e tanto mal no mundo. A cobiça e a ganância são tanto mais pecaminosas, quanto mais negam o direito de viver de tantas pessoas, privando-as do necessário para terem uma vida digna.

1. Introdução

2. Procissão de entrada

3. Saudação

P.: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
T.: Amém!
P.: Irmãos e Irmãs, voltemos o nosso olhar para o Deus da Vida. Desde toda a eternidade, Ele olha para a humanidade com amor eterno: "quem vos toca, toca a menina dos meus olhos" (Zc 2,8).
T.: Bendito seja Deus, que nos reúne no amor de Jesus e de Maria!

4. Maria nos ensina a não cobiçar as coisas alheias

L.: Desde o início da humanidade, a ganância do coração humano é a raiz de toda maldade. Damos exagerado valor às coisas e esquecemos que a nossa realização não depende necessariamente dos bens que possuímos, mas daquilo que somos como pessoa.
T.: Deus nos ensina a solidariedade que nos faz felizes!
L.: Deus entregou todos os bens criados a todos nós para que os fizéssemos crescer e os colocássemos a serviço de toda a humanidade, sem exclusão de ninguém.
T.: Maria nos ensina a ser administradores solidários dos bens de Deus!

5. Maria vem ao nosso encontro

L.: Deus foi sempre o tesouro na vida de Maria. Assim ela era plenamente livre diante dos irmãos e das coisas. Ela ia às pessoas para servir e nunca para tirar proveito. Não cobiçava coisa alguma, pois seu coração estava possuído pelo bem máximo que é Deus.
T.: Se Deus é o nosso tesouro, a vida é o valor maior!
L.: Eis o grande sonho da Mãe Aparecida: libertar nosso coração de filhos e filhas de toda ambição, e centrar nosso coração em Deus.
T.: Maria, queremos que o nosso coração seja igual ao de Deus!
(Entronização da Imagem e Procissão das flores)

6. Maria nos ensina com a Palavra de Deus

L.: Em Maria, Deus mostra quantas maravilhas Ele pode fazer em nossa vida. Por sua Palavra, Ele nos convoca a construir a "terra sem males".
T.: "Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância!"
L.: Nós experimentamos violência e sofrimento no mundo. O desejo ilimitado de posse leva-nos a ver o próximo como adversário que deve ser eliminado. Quando impomos limites à nossa ganância, o Reino de Deus encontra lugar em nosso coração.
T.: Da vida e do coração de Maria, o sonho de Deus ecoou para o mundo todo!

7. Anúncio da Palavra de Deus
(Êx 20,1-2.17 - Mensagem)

8. Súplica a Maria (Ladainha)

P.: Querida Mãe Aparecida, quantas vezes domina-nos a ambição insaciável de coisas e estendemos mãos gananciosas sobre os bens alheios, e ficamos vazios. Dai-nos, ó Mãe, escapar da ambição que nos escraviza e nos deixa insatisfeitos, e acolher Deus, o Sumo Bem, que nos plenifica!
(Ladainha, p. 28)
P.: Mãe Aparecida, quantas vezes iludimos a nós mesmos, buscando encher-nos de coisas e de bens, e continuamos vazios. Dai-nos, ó Mãe, nunca esquecer que nosso coração é divino e só se satisfaz com o amor, quando põe os bens que temos a serviço da vida de todos! Por Cristo, nosso Senhor.

9. Maria nos leva a Jesus Eucarístico

L.: A única ambição de Maria era que nela Deus cumprisse inteiramente sua vontade. Vivemos essa ambição de Maria, quando morremos para o egoísmo e promovemos a vida do nosso próximo.
T.: O Reino de Deus acontece onde a vida é valorizada!
L.: Acolher a plena solidariedade de Jesus Eucarístico é recusar por completo a tentação da ganância.
T.: Onde acontece o amor, a partilha e a solidariedade, aí está a "terra sem males"!
(Entronização do Santíssimo e Procissão dos alimentos)

10. Maria nos leva a rezar

P.: Na confiança da súplica, dirijamo-nos a Jesus, que é o sentido último de nossa vida! Que Ele nos dê a sua força para estarmos a serviço de seu Reino!

1. Para que nossas comunidades cristãs sejam o lugar da experiência da fraternidade e da justiça de que o mundo tanto necessita, rezemos ao Senhor.

T.: Senhor, no vosso Espírito, dai-nos a "terra sem males"!

2. Para que nossa sociedade se converta para o espírito dos mandamentos de Deus, colocando o amor a Deus e ao próximo acima de qualquer outro interesse, rezemos ao Senhor.
3. Para que aprendamos com os irmãos indígenas a sua sabedoria milenar de velar pelo bem coletivo e de garantir a dignidade dos indivíduos, rezemos ao Senhor.
4. Para que tenhamos gratidão a Deus por tudo aquilo que nos concede gratuitamente, e nos alegremos com as conquistas honestas dos outros, rezemos ao Senhor.
5. Para que os políticos eleitos renovem nossas esperanças de dias melhores, trabalhando pelo bem comum, especialmente da maioria mais desfavorecida, rezemos ao Senhor.
6. Por todos nós que estamos participando destes dias da novena da Padroeira do Brasil, para que continuemos empenhados em viver, no dia-a-dia de nossas vidas, os mandamentos de Deus para que o mundo seja melhor, rezemos ao Senhor.

P.: Cristo, nosso Senhor, esses são os pedidos que a vós apresentamos junto de vossa e nossa Mãe Maria. A vós que sois Deus com o Pai e o Espírito Santo.
T.: Amém!

11. Bênção do Santíssimo

L.: Senhor Jesus, em tudo vós cumpristes a vontade do Pai. Dai-nos renunciar a tudo o que prejudica ou destrói a vida!
T.: Senhor, na vossa luz, ajudai-nos a superar toda e qualquer ganância!
L.: Senhor Jesus, é a vós que atingimos quando ferimos a dignidade e o direito de nossos irmãos!
T.: Ajudai-nos a vos amar, amando os nossos irmãos!
L.: Contando com a vossa presença junto a nós, poderemos realizar nosso sonho de felicidade, no amor e serviço aos irmãos.
T.: Sede sempre a nossa força na caminhada da vida!

12. Abraço da Paz

13. Consagração a Nossa Senhora

14. Despedida

 



| Página Principal | Menú do especial | María | Santoral |